Chamada de artigos: Pensar o Futebol. Contributos a partir dos estudos sobre media, jornalismo e comunicação

Data início: 19/07/2021Data de encerramento: 30/11/2021Data limite inscrição: 30/11/2021

Mediapolis

Coordenadores: Francisco Pinheiro e Carlos Nolasco

 

Na linha de continuidade do n.º 8 da Mediapolis, dedicado ao desporto, abrimos este novo número aos estudos sobre futebol, na sua interação com os media, o jornalismo e a comunicação. O futebol, enquanto fenómeno social e objeto científico, continua a ser condicionado por preconceitos epistemológicos e um relativo isolamento académico, em particular quando perspetivado desde as ciências sociais e humanas.

Acreditamos que dedicar um número desta revista à relação entre futebol, media, jornalismo e comunicação é, em si mesmo, uma aposta audaz, sobretudo no contexto académico português, onde se revela um paradoxo: o futebol é um dos mais representativos fenómenos da cultura popular, mas tem uma mitigada atenção académica. O mesmo sucede ao nível do próprio jornalismo português, em que o jornalismo desportivo (muitas vezes secundarizado) tem um papel hegemónico. Também do ponto de vista comemorativo se justificava esta temática em 2021-2022, biénio em que se comemoram o centenário (1921-2021) da Seleção Nacional de Futebol (masculina) e o centenário (1922-2022) das competições futebolísticas organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol, com um incontornável impacto (do futebol) na história dos media, do jornalismo e da comunicação em Portugal.

Do ponto de vista científico, por um lado, ainda continuamos a ter uma academia herdeira da tradição dos estudos anglo-saxónicos sobre desporto em geral e o futebol em particular, cristalizados nas décadas de 60, 70 e 80 do século XX, acostumada a associá-lo aos conceitos de ordem, disciplina, corpo, alienação e cultura de massas. O futebol fica, assim, “arrumado” epistemologicamente nos campos do lazer e tempo livre, entendido como um tema menor, afastado das “grandes” temáticas que regem as dinâmicas internacionais e a contemporaneidade portuguesa. Por outro lado, no campo ocupado pelos media, jornalismo e comunicação, assistimos a um crescimento exponencial do fenómeno futebolístico ao longo dos séculos XX e XXI, muito embora se persista em olhar o futebol como um assunto menor em termos informativos quando comparado com temas considerados socialmente mais relevantes, como a política ou a economia, por exemplo. As extensas e imbatíveis audiências globais geradas pelo futebol – e a própria massificação (popular e mediática) que lhe está associada – levou ao afastamento de uma parte da comunidade intelectual, avessa a este género de fenómenos, apelidados, tantas e tantas vezes, de forma pejorativa, como de “massas” ou de “baixa cultura”.

O futebol, nascido do século XIX e popularizado no século XX, chegou ao novo milénio como elemento criador de modas e comportamentos à escala global, assumindo-se como um “facto social total” e complexo, carente de reflexão e investigação por parte das Ciências Sociais e Humanas e das Ciências da Comunicação. O desafio deste número é demonstrar o quanto o futebol pode e deve constituir-se num objeto de pesquisa e investigação no âmbito académico e científico, dada a sua plasticidade social e apelo a abordagens interdisciplinaridades e/ou multidisciplinaridades.

Mediapolis inclui, deste modo, o futebol como tema central, demonstrando também ela o seu carácter vanguardista, plural e interdisciplinar – em linha com os pressupostos do grupo (GiCJEP) e do centro de investigação (CEIS20) que lhe estão na génese. Como se trata da primeira incursão desta revista num tema tão complexo, o desafio é abrir e criar um espaço de reflexão e discussão sobre futebol na sua relação com os media, jornalismo e comunicação, preferencialmente alimentado por investigações empíricas originais e inovadoras, alargadas a múltiplas visões e temas, que questionem/pensem o futebol e as suas interseções com os media, o jornalismo e a comunicação.

 

Aceitamos contributos em vários domínios, incluindo:

1) Teorias e metodologias;

2) História, megaeventos, violência, discriminação, racismo;

3) Sexualidade, género, celebridades, adeptos;

4) Ciberespaço, redes sociais e videojogos;

5) Audiências e espetáculo futebolístico;

6) Política, nação e identidades;

7) Estética e cultura futebolística;

8) Cinema, fotografia e publicidade;

9) Ética e deontologia da comunicação;

10) Transformações informativas e tecnológicas.

 

Os artigos devem ser submetidos até 30 de novembro de 2021, para integrar o nº 15 da Mediapolis, referente ao segundo semestre de 2022.

 

Deverão seguir as normas de publicação que podem ser consultadas no seguinte link: https://impactum-journals.uc.pt/mediapolis/about/submissions

 

 

CALENDÁRIO

Receção de artigos: Até 30 de novembro de 2021

Comunicação dos resultados: Janeiro de 2022

Publicação: 2º semestre de 2022

Veja também:
    • 25 de novembro de 2021

      Cinefoot 12

      • 24 de novembro de 2021

        A diversidade de corpos negros no futebol

        • 22 de novembro de 2021

          GEFuT Convida – Elcio Cornelsen