133.46

Primeira campeã mundial? A Inglaterra venceu a Copa do Mundo antes dela existir

Gabriel de Oliveira Costa 20 de julho de 2020

No começo do século XX, o futebol ainda era algo amador para a grande maioria das nações que praticavam o esporte. Apesar disso, no Reino Unido, o cenário era outro: Federação criada (FA), torneios nacionais a todo vapor (FA Cup) e uma legião de equipes que surgiam ano após ano. Antes da criação da FIFA, em 1904, na Suíça, já ocorriam os Jogos Olímpicos, apesar de o futebol ainda não fazer parte do evento até então.

Já com o Reino Unido forte em futebol, com a Inglaterra e Escócia se tornando potências, um grande embate aconteceu de cara. Em meio à ascensão da FIFA emergia a popularidade das Olimpíadas de 1904. Diante disto, eis a questão: FA ou FIFA?

A Federação Inglesa tinha como objetivo idealizar um torneio de futebol entre nações, mas antes disso, a FIFA deu um passo à frente em 1905 e desenhou sua primeira Copa do Mundo. 8 seleções, dois grupos com 4 integrantes. Apesar do esforço, nenhuma seleção convidada garantiu presença no torneio. Na época o futebol era amador e a ideia de um treinador era muitas vezes ocupada por gerentes ou professores de educação física.

A falha da Copa do Mundo 

Sem a competição oficializada para 1906, coube à FIFA esperar pelos Jogos Olímpicos e ver seu resultado. Pela primeira vez na história o futebol teria sua modalidade nas Olimpíadas (1908). Curiosamente, o local sede foi a Inglaterra. Ao todo, 8 equipes foram convidadas, porém, com a retirada da Hungria e Tchecoslováquia, o torneio foi adaptado para apenas 6 times.

Foi tudo muito rápido. Iniciada em 19 de outubro, a competição acabou no dia 24. Todos os jogos ocorreram no mesmo estádio, em White City, Londres. Sendo assim, nesta edição apenas seleções europeias foram convidadas, pois além da dificuldade de deslocamento de outros departamentos, o futebol, que era amador, já sofria dificuldades entre as próprias seleções continentais.

Favorita desde o início, a Inglaterra teve como adversários: Dinamarca, Suécia, Países Baixos, França e França B. Sim, a seleção francesa enviou duas equipes, o time principal e um grupo alternativo.

Apesar de a Inglaterra confirmar as expectativas da época e ser a campeã (medalha de ouro), a Dinamarca teve o futebol mais vistoso, com a maior goleada do campeonato: 17×1 diante da França. Além disso, os dinamarqueses tiveram o artilheiro do torneio: Sophus Nielsen, com 11 gols.

A grande decisão foi entre Inglaterra e a Dinamarca. Com 8 mil pessoas presentes no estádio, os ingleses venceram por 2 a 0 (Chapman e Woodward), enquanto pouco antes os Países Baixos conquistaram o bronze diante da Suécia.

Sendo assim, aquele elenco campeão tinha: H. Bailey (Leicester); A. Berry (Wolves), F. Chapman (South Notts), W. Corbett (Birmingham) e H. Hardman (Man. Utd); R. Hawkes (Luton Town), K. Hunt (Wolves) e C. Purnell (Clapton); H. Smith (Reading), H. Stapley (North End) e V. Woodward (Tottenham). 

Bobby Moore, capitão da seleção inglesa, recebe a taça da Copa do Mundo de 1966 da Rainha Elisabeth II. Fonte: Wikipédia

O legado e o futuro

Por fim, com o sucesso na estreia do futebol nos Jogos Olímpicos, uma outra nova edição elevou a popularidade do esporte, motivando novas seleções a participarem. Ainda sem espaço, a FIFA ensaiou com mais organização uma nova Copa do Mundo, a do seu jeito. No entanto, o projeto previa a edição em 1914, mas a Primeira Grande Guerra Mundial impediu novamente o torneio. Antes da sua origem oficial, em 1930, era de reconhecimento mundial o título inglês e seu domínio do futebol. A vitória inglesa permitiu avanços no futebol, com a modernidade tática, o papel de um treinador mais influente e principalmente a profissionalização do esporte.

Então, antes da edição de 30, Jules Rimet desconsiderou os títulos mundiais adquiridos nas Olimpíadas e, com a FIFA, criou a sua competição para decretar os novos campeões. Considerando um boicote, a Inglaterra não participou das primeiras edições, levando sua rixa com a entidade suprema do futebol até os anos 60. Curiosamente, a FIFA também sofreria boicotes das seleções africanas, que questionavam um regulamento que favorecia os europeus e prejudicavam-os junto dos asiáticos.

Entretanto, algumas seleções de outros continentes já se faziam presentes, tirando o forte teor de ser uma competição europeia. Uruguai, Estados Unidos e Egito representaram as equipes fora da Europa no primeiro mundial. 

Portanto, como forma de decretar a paz e assumir de vez sua popularidade mundial, a FIFA e a FA cederam na briga e, assim, a Inglaterra chegou ao mundial de 1962. Em sua quinta participação, o time inglês foi campeão na polêmica final de 1966, sendo, então, considerado seu único título mundial até os dias atuais.

Novamente o título inglês deixaria uma enorme mudança estrutural do futebol. Dali em diante, patrocinadores, a expansão televisiva, a valorização salarial de treinadores e jogadores, o surgimento de clubes e novas federações contribuíram para um novo futebol a partir dos anos 70. 

Seja um dos 26 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriel de Oliveira Costa

Jornalista carioca, tenho 22 anos. Apaixonado por futebol, fator principal pelo qual sou motivado para trabalhar com  a comunicação social, desde março realizo trabalhos direcionados ao conteúdo esportivo. Há dois anos trabalho com pautas de economia e política.

Como citar

COSTA, Gabriel de Oliveira. Primeira campeã mundial? A Inglaterra venceu a Copa do Mundo antes dela existir. Ludopédio, São Paulo, v. 133, n. 46, 2020.
Leia também:
  • 133.70

    A participação de atletas e clubes capixabas no cenário do futebol nacional

    Fábio Bloise Mundstock, Alexandre Hilgert
  • 133.69

    Başakşehir campeão, reislamização da basílica de Santa Sofia: gol de Erdoğan?

    Makchwell Coimbra Narcizo
  • 133.68

    Os donos no futebol

    Irlan Simões da Cruz Santos