105.16

A arte de comemorar: da saudação típica Wakanda para o esporte

Sineimar Renato Ferreira Reis 16 de março de 2018

Seguro dizer que, como todos, o jogador do Manchester United, Jesse Lingard, gosta de Black Panther (Pantera Negra o filme), produção que já é uma das maiores bilheterias de um filme solo de super-herói, com mais de 700 milhões de dólares. Cada jogador profissional gosta de comemorar seu gol de forma gesticulável, mas o jogador do Manchester United superou, e homenageou o povo Wakanda. Este povo é uma nação africana ficcional presente nas histórias em quadrinhos do Universo Marvel, publicadas pela Marvel Comics, e em outras mídias baseadas nestes. É a mais proeminente dos vários países africanos fictícios do Universo Marvel e o lar do super-herói Pantera Negra. Wakanda aparece pela primeira vez em Fantastic Four 52 de julho de 1966, e foi criado por Stan Lee e Jack Kirby. Wakanda está localizada na África Oriental, embora sua localização exata tenha variado ao longo da história. Algumas fontes colocam Wakanda ao norte da Tanzânia, enquanto outras como o Marvel Atlas dois, mostram a fronteira com o Lago Turkana, perto do Sudão do Sul, Uganda, Quênia, Somália e Etiópia e cercado por outros países ficcionais como Azania, Canaã e Narobia.

Essa última posição é próxima a do Universo Marvel Cinematográfico, onde Wakanda está localizada ao norte do Lago Turkana fazendo fronteira com Quênia, Etiópia, Uganda e Sudão do Sul. Esse local foi estabelecida pela primeira vez em Capitão América: Guerra Civil. Na vida real, esta área é na verdade uma região fronteiriça em disputa conhecida como o Triângulo de Ilemi, reivindicado por cada um desses países. No filme Pantera Negra é confirmado que Wakanda é um país sem litoral, com montanhas e selvas em torno de suas fronteiras que ajudaram a nação a isolar-se de outros países. Internamente, Wakanda consiste em vales com rios exuberantes, cadeias montanhosas ricas em recursos naturais e uma capital fabulosa que integra a tecnologia futurista com desenhos tradicionais africanos.

bandeirawakanda
Bandeira Wakanda.

A linhagem real de Wakanda começa com Bashenga, que acreditam ser o primeiro rei do país e o primeiro Pantera Negra, 10.000 anos antes de T’Challa. No passado distante, um enorme meteorito maciço composto de vibranium – elemento que absorve o som, entre outras propriedades especiais – caiu em Wakanda, e é desenterrado uma geração antes dos eventos do presente. A exposição ao vibranium transformou muitos dos que forem expostos a ele em criaturas que lembram demônios. Wakanda tem uma taxa de mutações excepcionalmente elevada devido às propriedades perigosamente mutagênicas do Vibranium. Um grande número desses mutantes atuais trabalham para Erik Killmonger.

A radiação do vibranium se espalhou por grande parte da flora e da fauna de Wakanda, incluindo a erva em forma de coração comida pelos membros do Culto da Pantera (embora em uma ocasião T’Challa tenha permitido que um moribundo Homem-Aranha comesse com a esperança de que ele o ajudasse a lidar com isso sua doença) e a carne do Gorila Branco comido pelos membros do Culto do Gorila Branco. O Culto da Pantera, auxiliado pelas propriedades da erva, se torna a tribo dominante do país, com o seu líder – e por consequência, o rei de Wakanda – sendo chamado de Pantera Negra. Existem cerca de dezoito outras tribos no país, e T’Challa manteve a tradição de “Dora Milaje”, a guarda real que aceita mulheres de cada tribo como “noivas em potencial”, para manter a paz nacional – visto que o casamento seria o caminho para outras tribos chegarem ao poder. T’Challa, porém, considera essa tradição apenas cerimonial, com as Dora Milaje sendo apenas a guarda, e finalmente se casará com uma “estrangeira”, Ororo Munroe (a Tempestade dos X-Men), que se torna Rainha de Wakanda. Isso causou algumas tensões dentro do país. No mundo, as intenções de Wakanda muitas vezes são incompreendidas por outras nações. Wakanda faz parte da União Africana (anteriormente chamada de Organização da Unidade Africana), o Congresso Pan-Africano sobre o Tratamento dos Super-Humanos, da UNESCO, as Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde.

A 18ª edição do famoso Marvel Cinematic Universe, o filme dirigido por Ryan Coogler nos reúne com T’Challa de Chadwick Boseman enquanto ele começa seu período como o novo monarca de Wakanda. Com uma série de talentos negros tanto na frente como atrás da câmera, o filme tem quebrado vários registros de bilheteria esmagando os mitos de longa data sobre a diversidade em Hollywood. Wakanda pode ser um destino fictício, apenas existente nos quadrinhos Marvel e seu universo cinematográfico, mas todos parecem atraídos para o país africano, onde a tecnologia combina perfeitamente com a tradição e a cultura. O cenário principal da Pantera Negra, a nação escondida não é nada além de fascinante. A designer de produção Hannah Beachler e Coogler fez um ótimo trabalho na elaboração do reino, representando uma sociedade ideal onde as pessoas vivem em harmonia um com o outro.

Lingard orgulhosamente fez a saudação oficial de Wakandan depois de balançar as redes, resultando em uma vitória para o Manchester United contra os campeões reinantes da Premier League. Os fãs que estavam assistindo ao jogo imediatamente mancharam o gesto festivo do atleta estavam entusiasmados com os vinte e cinco anos de idade referentes ao filme do super-herói. Ao escrever e pesquisar para terminar este artigo encontrei imagens fantásticas relacionando o movimento de lágrimas de Lingard. Em metragens adicionais do jogo que tem um ângulo de visão diferente (panorâmica), Lingard é visto repetindo o gesto, e em outra oportunidade comemora com seu colega de equipe, Paul Pogba, para uma versão ligeiramente diferente da saudação Wakanda, começando pelo primeiro aperto de mão. O mesmo clipe também mostra a multidão torcendo mais alto.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=12&v=KLPefg_g4Xw

O futebol é uma arte insubstituível. É muito bom ver este tipo de acontecimento dentro de campo e mostrando ao mundo o jeito de se manifestar e homenagear. Desta vez Pantera Negra está em cartaz nos cinemas, no campo e nas arquibancadas. Viva o futebol!

Seja um dos 26 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Sineimar Reis

Possui graduação em História pela Instituição Educacional Cecilia Maria de Melo Barcelos Faculdade Asa de Brumadinho, Minas Gerais, (2012). Graduado licenciado em Artes Visuais pela Faculdade de Nanuque, Minas Gerais, (FANAN) 2015. Tem experiência na área de História com ênfase nos seguintes temas: Ciência política e políticas públicas sociais e educacionais, história contemporânea e do tempo presente. Arte contemporânea em relação ao público escolar, arte pública e poder público. Aborda principalmente os seguintes temas: História social da cultura, políticas públicas governamentais e educacionais, arte no espaço urbano e espaço arte. Músico tocador de flauta transversal e artista especialista em desenhos realistas. Tem vasta experiência com ensino fundamental e médio. Atua como professor da rede Estadual de ensino nas disciplinas de história e arte, atualmente leciona arte em duas escolas da rede pública na cidade de Betim e Contagem/MG na modalidade Fundamental e Médio, atualmente direciona o Instituto do Patrimônio Histórico da Cidade de Betim. Coordena e participa de grupos de pesquisa e seminários em estudos voltados para as políticas públicas desenvolvendo projetos sociais junto ao movimento dos trabalhadores que contribui com o processo de reforma agrária e por uma sociedade mais justa.

Como citar

REIS, Sineimar Renato Ferreira. A arte de comemorar: da saudação típica Wakanda para o esporte. Ludopédio, São Paulo, v. 105, n. 16, 2018.
Leia também:
  • 105.30

    Marielle, presente! As manifestações políticas em estádios

    Murilo Roncolato
  • 105.29

    Arenização, selfies e curtição

    Arlei Sander Damo
  • 105.28

    Entre lesões e polêmicas: os jogadores brasileiros cortados nas Copas do Mundo da Argentina à Itália

    Leonardo Turchi Pacheco