147.34

As transmissões de futebol no TikTok e o pioneirismo do Nordeste

Já faz um tempo que ter o ‘pacote completo’ de TV por assinatura era sinal de acesso garantido aos principais campeonatos esportivos locais, nacionais e internacionais de futebol. Nos dias de hoje, tal regalia passa necessariamente pela assinatura de serviços pagos de streaming, que se multiplicaram nestes tempos de pandemia, na contramão dos investimentos das emissoras de televisão (afetadas pela crise econômica no País e no mundo) na aquisição de direitos de transmissão de competições.

E o torcedor que não tem condições de arcar com a assinatura desses serviços, como fica? Um caminho que surge como alternativa ao apaixonado por futebol são as transmissões abertas em plataformas digitais. Youtube e Facebook foram os primeiros a apostar nesse tipo de transmissão, ao exibirem gratuitamente torneios de peso, como a Champions League e a Taça Libertadores. No Face, contudo, o sinal aberto para jogos de futebol está com os dias contados. A rede social de Mark Zuckerberg repensou suas estratégias no segmento e anunciou recentemente que deixará de transmitir futebol ao vivo após 2022.

Este ano, um novo ator surgiu nesse mercado com a proposta de transmitir jogos com imagens em tempo real com sinal aberto aos seus usuários: o Tiktok. O ponta pé inicial dessa empreitada teve sotaque nordestino. Em março deste ano, a Copa do Nordeste fez história ao se tornar a primeira competição de futebol do mundo a ter um jogo transmitido ao vivo pela plataforma de vídeos curtos, notabilizada pela publicação de vídeos engraçados, como coreografias e dublagens.

A partida que marcou a estreia do novo recurso foi o duelo entre Ceará e CSA, no dia 30 de março, na Arena Castelão, válido pela 6ª rodada da fase classificatória. A parceria teve continuidade até o fim do Nordestão, com a transmissão de um jogo por rodada até a grande final, que terminou com título do Bahia em cima do Ceará.

Nordestão
Copa do Nordeste foi pioneira na transmissão de jogos pelo TikTok no mundo. Foto: Copa do Nordeste/Twitter/Divulgação

Transmissão com linguajar próprio do TikTok

A investida da Copa do Nordeste no TikTok ocorreu com uma equipe de transmissão própria, que imprimia um estilo diferenciado nas transmissões, se adaptando à linguagem do TikTok. Ou seja: carregada de descontração, interação com o público e com a apropriação dos memes característicos da plataforma, como o bordão “Wee”, acionado toda vez que um jogador se dá mal em campo, seja quando acerta um chute longe do gol ou quando toma um drible desconcertante.

Para além da transmissão dos jogos, o acordo entre Copa do Nordeste e o TikTok incluiu ainda o patrocínio ao torneio e ativações nos estádios e nas transmissões pelo Nordeste FC, streaming esportivo oficial que exibe os jogos da “Lampions League”, mediante assinatura do serviço, que é comandado pela LiveMode, empresa que detém os direitos de transmissão do Nordestão e também do Campeonato Cearense.

A parceria entre TikTok e Copa do Nordeste chegou num momento muito oportuno, em que o aplicativo vem se tornando uma referência cada vez mais forte para o consumo de conteúdos sobre futebol. Uma mostra disso é que a hastag #futebol, em pouco tempo, somava quase 7 bilhões de visualizações dentro do serviço. Outro detalhe é a forte adesão que o TikTok encontrou entre os clubes que disputam o Nordestão em 2021: 12 das 16 equipes tinham contas ativas na rede social, incluindo as quatro equipes nordestinas que integram a Série A do Brasileirão: Ceará, Fortaleza, Bahia e Sport.

O próprio retorno que o perfil da Copa do Nordeste conseguiu no TikTok foi expressivo. Em poucos meses, alcançou a marca de 320 mil seguidores e já ultrapassou a marca de duas milhões de curtidas.

Com a parceria do TikTok, a Copa do Nordeste ampliou as opções de espaços por onde o torcedor pode acompanhar as emoções do torneio, que é o maior campeonato regional do País. Pela TV, as partidas já são transmitidas pelo SBT (nas afiliadas da emissora no Nordeste) e canais Fox Sports, além do pay per view disponível nas operadoras Claro/Net e Sky. Pela internet, os jogos são exibidos no serviço de streaming Nordeste FC. Neste ano, os jogos também puderam ser acompanhados para usuários inscritos na Twitch, plataforma da Amazon, que começou a ganhar força com transmissões de jogos e se notabilizou também pelas lives de resenha esportiva.

Investir no TikTok consolidou de vez o perfil inovador da Copa do Nordeste, que hoje distribui os conteúdos da competição em várias plataformas que fazem transmissões pela internet. Vale lembrar que, na temporada passada, alguns jogos do torneio eram liberados para transmissão gratuita no Youtube e também pelo Facebook. Na edição 2021, essas duas redes sociais, em parceria com o Nordeste FC, liberaram o sinal do pré-jogo de quase todas as partidas. Só na internet, portanto, são cinco canais por onde a Copa do Nordeste atuou com transmissões ao vivo, via streaming: Nordeste FC, Twitch, TikTok, Facebook, e Youtube, além do farto material audiovisual veiculado diariamente nos perfis do torneio no Twitter e no Instagram.

Com essas referências, a Copa do Nordeste, que ganhou recentemente o slogan de “A Copa dos Clássicos”, já faz por onde merecer também o rótulo a “A Copa das Transmissões Multiplataformas”.

Nordestão
O jogo entre Ceará e CSA, na Arena Castelão, foi a transmissão pioneira de um jogo de futebol pelo TikTok. Foto: Sesporte/Governo do Ceará.

Investimentos para além da Copa do Nordeste

Os investimentos do TikTok nas transmissões de futebol foram muito além da Copa do Nordeste A plataforma de vídeos está, aos poucos, abraçando as transmissões de jogos ao vivo no Brasil. Nas últimas semanas, o aplicativo de origem chinesa firmou acordo com o grupo Warner Media para exibir Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2022 no perfil da TNT Sports no TikTok.

Um acordo semelhante foi costurado recentemente com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a transmissão dos 14 jogos da fase final do Campeonato Brasileiro feminino. Dessa forma, o usuário teve a oportunidade de acompanhar gratuitamente, nas últimas semanas, os jogos pelo perfil do canal Desimpedidos e na conta oficial da competição.

A expectativa agora é que essas parcerias para transmissões ao vivo em plataformas digitais com sinal aberto, como TikTok, Facebook, Youtube e Twitter, continuem se expandindo, de forma possibilitar que um maior número de pessoas possa seguir acompanhando a grande paixão do brasileiro: o futebol, democrático por essência no País, desde os tempos em que o rádio era a única forma de acompanhar as emoções de uma partida.

Nordestão
Impulsionada pelas transmissões do TikTok, o perfil da Copa do Nordeste já contabiliza mais de 2 milhões de curtidas no perfil da competição. Foto: Reprodução.

 

Seja um dos 12 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Bruno Balacó

Jornalista, cronista esportivo e pesquisador. Doutorando em Comunicação na Universidade Federal do Ceará (UFC), mestre em Comunicação pela UFC, especialista em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais pela Estácio e graduado em Jornalismo pela Universidade de Fortaleza. Membro do grupo de pesquisa PraxisJor (UFC) e da Rede nordestina de estudos em Mídia e Esporte (ReNEme). Pesquisa rádio e mídias sonoras, com ênfase em produções nas áreas de radiojornalismo esportivo e podcasts. Atua no mercado como jornalista e produtor de conteúdo no Grupo Cidade de Comunicação. Edita e produz o PapoCom, podcast vinculado ao Práxisjor. É editor dos livros 'Arena Castelão: templo do futebol cearense' (Fundação Demócrito Rocha - 2014) e "Leão 100 anos", o livro do centenário do Fortaleza Esporte Clube (O POVO - 2019).

Como citar

BALACó, Bruno. As transmissões de futebol no TikTok e o pioneirismo do Nordeste. Ludopédio, São Paulo, v. 147, n. 34, 2021.
Leia também:
  • 147.48

    Ep. 2 – Na boca do túnel | Indiscutível, é?

    Guilherme Trucco, Raul Andreucci
  • 147.47

    “Se juega como se vive”: o futebol colombiano nos anos 90

    Fabio Perina
  • 147.46

    A Superliga Europeia: O clube de exclusividade do futebol europeu e as suas implicações territoriais

    Amanda Trovó, Leandro Luís Lino dos Santos, Jonathan Ferreira, João Paulo Rosalin