161.18

Campeonato brasileiro de Breaking e algumas informações sobre os Jogos

A partir do dia de hoje (18/11) até sábado, o CNDD (Conselho Nacional de Dança Desportiva) organiza a primeira edição de seu campeonato nacional de Breaking. O evento é uma das formas de divulgar e inserir b-boys e b-girls no universo esportivo da modalidade.

A competição contará com duas categorias, sendo elas feminina e masculina. Ao todo, 16 atletas de cada grupo serão selecionados na sexta-feira, eles integrarão o chaveamento do campeonato que seguirá o formato tradicional das batalhas de dança.

Eventos desse porte são uma das maneiras que o CNDD encontrou de revelar quais serão os atletas que tem os melhores resultados e que por isso estarão mais aptos a formar o time oficial.

Para dançarinos, pessoas estudiosas e curiosos sobre o processo de esportificação, a competição também é propicia para conhecer o formato de julgamento que será orientado pelo padrão olímpico que tem o triviun como sistema de rankeamento. Ele é seguro e o vencedor e vencedora são elegidos pela análise comparativa durante as rodadas. 

Um breve resumo de seu funcionamento…

Formulado por Niels Robitzky, mundialmente conhecido como b-boy Storm, o sistema de julgamento do Breaking nas Olimpíadas de 2024 tem um modelo holístico composto pelas categorias: Body, Mind e Soul.

 

 Uma das maiores questões que estão e aparecem em campo é a angústia que muitos dançarinos e amantes da cultura Hip Hop tem de se perder os valores culturais ao longo do processo de esportificação. De forma a sanar esse medo, os idealizadores do projeto de julgamento criaram o Trivium Value System que é um dispositivo digital que garante mais justiça e transparência na hora de definir o vencedor e a vencedora de uma batalha olímpica.

A ideia é que as categorias “Corpo”, “Alma” e “Mente” comportem subgrupos cujas somatórias equivalem 100% ao final de cada rodada. Sendo elas:

Physical: Técnica (20%) e variedade (13,33%) – Qualidade física.

Soul: Performance (20%) e musicalidade (13,33%) – Qualidade criativa.

Mind: Criatividade (20%) e personalidade (13,33%) – Qualidade interpretativa.

Há, ainda, alguns botões específicos para pontuar escorregões e falhas dos atletas que estiverem competindo.

Diferentemente do que estamos habituados em eventos olímpicos, o sistema de julgamento do Breaking não será baseado em pontuação de um conjunto de movimentos pradonizados e prescritivos.

O método baseia-se em algo mais descritivo em que os jurados irão comparar o desempenho de cada b-boy e b-girl. O sistema permite que os atletas e o público saibam quem está se saindo melhor na primeira rodada. Segundo Storm, essa é uma maneira muito interessante de engajar a torcida e de aumentar a tensão e a emoção dos competidores e espectadores em Jogo.

Algumas faltas durante o Jogo…

Atletas correm o risco de perder sua vaga na competição olímpica se receberem três advertências. Entre todas, algumas delas são:

– Contato proposital com o adversário

– Desrespeito verbal e físico

E quem são os jurados das competições?

Algo muito comum e frequente em eventos competitivos de dança, as batalhas, são os rumores que a escolha de um vencedor é enviesada pelo favoritismo. Para evitar que isso ocorra, a WDSF (World DanceSport Federation) lançou um curso preparatório para compor o time de árbitros. Aqui no Brasil, segundo interlocutores, para ingressar como um membro da seleção brasileira de arbitragem, é preciso declarar a quanto tempo se é b-boy ou b-girl, fazer o curso e passar pelo processo de seleção que é composto por uma prova de conhecimentos específicos.

O evento de sexta-feira e sábado trará a nós, público entusiasta e aos atletas, uma primeira experiência oficial dos Jogos de 2024. Que tal conhecer os e as possíveis atletas do primeiro time de Breaking do Brasil?

Siga @cnddbreaking, @cndddancesport e o @lelus.ufscar nas redes sociais e fique por dentro! 

Seja um dos 13 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriela Alvarenga

Antropóloga | Mestranda em Antropologia Social  | Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos. Pesquiso e me interesso pelas temáticas dos estilos de vida da juventude, danças (sobretudo Popping e Breaking), corporalidades, festas e  práticas esportivas.

Como citar

ALVARENGA, Gabriela. Campeonato brasileiro de Breaking e algumas informações sobre os Jogos. Ludopédio, São Paulo, v. 161, n. 18, 2022.
Leia também:
  • 161.30

    Zé Carlos: o Hades do Mengão, o guardião de onde a bola morre

    Fabio Zoboli, Elder Silva Correia
  • 161.29

    O estádio de futebol em 2050. Parte I: Distopia

    Natália Rodrigues de Melo, Jean-Michel Roux
  • 161.28

    Dirigentes esportivos no Brasil: o que a academia diz

    Letícia Marcolan