156.15

Cultura, Identidade e Futebolização nas capitais do Danúbio

Rodrigo Koch 13 de junho de 2022

Este breve artigo dá sequência a série Cultura, Identidade e Futebol (KOCH 2022a, KOCH 2022b, KOCH 2022c, KOCH 2022d) – integrando o período de pós-doutorado (Institut de Creativitat i Innovacions Educatives de la Universitat de València), no qual observo e analiso condições da Futebolização (KOCH 2020). Assim como nos textos anteriores, são utilizadas duas ferramentas metodológicas para a construção dos relatos: observação e fotografias. Vale lembrar também que as percepções de cada pessoa, ou pesquisador, podem ser diferentes em cada localidade visitada ou investigada de acordo com períodos sócio políticos, históricos e climáticos, constituindo suas vivências e  experiências. Neste artigo, me debruço sobre as produtividades da Futebolização nas capitais que margeiam o Rio Danúbio e que pertencem à União Europeia.

Hans-George Gadamer lo consideró la particular ventaja de Europa: su habilidad de vivir con los otros, de vivir como el otro del outro, la capacidad y necesidad de aprender a vivir con los otros incluso si los otros no eran así. Todos somos otros y todos somos nosotros mismos. La vida europea se conduce en la constante presencia y en la compañía de los otros y de los diferentes, y el modo de vida europeo es una continua negociación que se mantiene a pesar de la otredad y la diferencia que dividen a aquellos ocupados en la negociación y a los que esta afecta. (BAUMAN 2009, p.18-19)

Rio Danúbio

O Danúbio é o segundo rio mais longo da Europa, atravessando o continente de oeste a leste, desde sua nascente na Floresta Negra – Alemanha – até desaguar no Mar Negro – Romênia. O rio passa por quatro capitais da Europa (Wien, na Áustria; Bratislava, na Eslováquia; Budapeste, na Hungria; e Beograd, na Sérvia) constituindo a fronteira natural de dez nações.

Bacia do Rio Danúbio
Bacia do Rio Danúbio. Fonte: Danube Commission

A bacia do Danúbio é uma vasta região, com seu povoamento tendo se iniciado em tempos muito remotos e com dados imprecisos. A sua grande importância estratégica se deve que, ao formar a maior parte da Europa Central, sempre serviu de rota natural entre o norte/oeste do continente, e a Europa Leste ou sul. No entanto, pelo fato de estar no centro, a bacia do Danúbio também tornou-se uma área de invasões, de coexistência (nem sempre pacífica) de numerosos grupos humanos – culturais e etnicamente distintos, de sobreposição ou justaposição de sistemas políticos diferentes, e do desenvolvimento de diversos modos de vida. Embora o Danúbio servisse de limite natural para definir o território do Império Romano na Antiguidade, não evitou a interpenetração de grupos distintos de ambos os lados do rio: latinos de origem romana ao norte, e romenos e eslavos ao sul.

Sua pronúncia e grafia muda conforme os territórios que perpassa. A título de curiosidade: em alemão Donau, em eslovaco Dunaj, em húngaro Duna, em sérvio Dunav, e em latim Danubius.

Artefatos de clubes austríacos
Artefatos de clubes austríacos em lojas especializadas em Wien. Fotos: Rodrigo Koch

Áustria: Wien

Wien, capital da Áustria, apresenta uma boa diversidade nas preferências clubísticas de crianças e jovens, com postura afastada em grande medida dos clubes locais de futebol (FK Austria Wien e SK Rapid Wien) – sem expressão no cenário europeu. Em parques e praças infantis vi muitas crianças (meninos) trajando camisetas de clubes do continente, como: FK Crvena Zvezda [FK Estrela Vermelha] (Sérvia), Manchester City FC (Inglaterra), Real Madrid CF (Espanha), Paris Saint Germain FC (França), Galatasaray SK (Turquia), FC Bayern München (Alemanha), seleções da Alemanha, Áustria, Portugal, Brasil e, principalmente, Juventus FC/Cristiano Ronaldo (Itália), e FC Barcelona/Messi (Espanha). Portanto, podemos afirmar que há certos vínculos das crianças de Wien com os clubes ou os atletas mais vencedores da modalidade. Pouquíssimas manifestações vinculadas aos clubes locais, observei apenas entre jovens. Uma das produtividades da Futebolização, a hibridização também ocorre na cidade, quando são vistos garotos com camisetas de uma seleção ou clube, mescladas com calções de outras equipes, talvez com objetivo de reunir as qualidades de mais de um time ou craque do futebol. Chama atenção que camisetas dos astros Cristiano Ronaldo e Messi estejam no guarda-roupa destes meninos, mesmo sendo das equipes anteriores pelas quais passaram as celebridades. Estranhamente, na capital austríaca, as camisetas vinculadas as duas grandes celebridades do futebol mundial nas últimas décadas, parecem que não passaram pela última atualização.  Fica o questionamento se o vínculo se dá com a equipe ou com o atleta. Neste quesito também é interessante que o ídolo local, o defensor Alaba, não desperte o interesse das crianças, ainda que haja camisetas com o nome deste jogador sendo comercializadas em pontos especializados.

Wien
Clubes europeus e seleção brasileira em destaque nas vitrines de Wien. Fotos: Rodrigo Koch

Na zona central e nos bairros há lojas de material esportivo que comercializam produtos de variados clubes e de algumas seleções, entre elas o Brasil. Há um certo destaque para os clubes da cidade, ao lado de outras grandes agremiações da Europa, como Liverpool FC, BV Borussia Dortmund, Manchester United FC, e Valencia CF entre outros. Os jornais locais, normalmente, reservam uma página para o noticiário do futebol e seleção austríaca e outra página para os principais destaques das ligas e demais campeonatos europeus: Champions League, Europa League e Conference League. Na Áustria, assim como em boa parte dos países europeus também há álbum de figurinhas do Campeonato Nacional sendo comercializado em supermercados e bancas de revistas e jornais. Pubs irlandeses estão caracterizados com as cores e artefatos de clubes estrangeiros, ou seja, o clube da preferência do dono do estabelecimento.

Wien
Bares futebolizados, álbum de figurinhas e camisetas pirateadas em ambulantes em Wien. Fotos: Rodrigo Koch

Vale o destaque, por exemplo, para uma loja especializada em artigos esportivos dos dois principais clubes de Beograd, capital da Sérvia e também uma das capitais do Rio Danúbio, instalada em plena Wien, na Ottakringer Strasse 59. FK Crveda Zvezda e KF Partizan recebem atenção especial – e quase única – neste espaço, pois há alguns poucos artigos das seleções da Sérvia e, Bósnia e Herzegovina. Mesmo com certa distância geográfica (613 quilômetros separam as duas capitais) e, atualmente sem destaque no âmbito futebolístico europeu, os dois rivais de Beograd estão presentes de forma marcante em Wien. O FK Crveda Zvezda foi campeão europeu e mundial na distante temporada 1990/91, ou seja, sem influência marcante para as crianças contemporâneas. O décimo sexto distrito da capital austríaca é marcado por cafés sérvios e pelo Brunnenmarkt (mercado de rua), com bancas de comidas turcas. Penso que este seja um dos grandes exemplos da futebolização entre as capitais do Rio Danúbio, ou seja, sérvios presentes e influenciando – em certa medida – a cultura e também as preferências clubísticas de austríacos.

Wien
Loja de artigos esportivos de clubes sérvios em Wien. Fotos: Rodrigo Koch

Eslováquia: Bratislava

Bratislava, na Eslováquia, é a menos futebolizada das capitais do Danúbio. As manifestações e registros no centro histórico da cidade são quase inexistentes e, quando ocorrem estão timidamente inseridas a outros objetos e marcos históricos da cultura eslovaca. Nas ruas que percorri, apenas avistei dois jovens com camisetas de clubes: um com a do Paris Saint Germain FC (França) e outro com a do FC Spartak Trnava (Eslováquia). Na estação de trem Bratislava Hlavná Stanica há um bar futebolizado, com adereços de diversos clubes e seleções europeias, mesclados com artefatos do clube da cidade: SK Slovan Bratislava, que nesta temporada chegou ao seu vigésimo título nacional, sem encontrar adversários à altura nos últimos cinco anos. A principal conquista da equipe – Recopa Europeia – ocorreu no longínquo ano de 1969.

Slovan Bratislava
Bar futebolizado e imã de geladeira do Slovan Bratislava na capital eslovaca. Fotos: Rodrigo Koch

Hungria: Budapeste

Trago novamente aspectos relacionados à capital da Hungria para complementar os dados deste artigo. Budapeste mescla as preferências clubísticas e as produtividades da Futebolização, em manifestações espontâneas e artefatos futebolizados do principal time da cidade – Ferencvárosi TC – com equipes inglesas, espanholas e italianas. Há um número significativo de pessoas circulando pelas ruas com camisetas, bonés ou mochilas do Manchester United FC, Liverpool FC, Arsenal FC, e FC Barcelona, além da comercialização de artigos do Real Madrid CF e FC Bayern München em muitas lojas de souvenires. Também observei a presença de adereços de clubes italianos em restaurantes gastronomicamente vinculados a esta etnia. Há ainda uma grande devoção pela seleção da Hungria dos anos 1940-50 e ao seu principal jogador: Ferenc Puskás, expressadas em zonas turísticas e nos bairros mais distantes da capital húngara. Dados mais detalhados de Budapeste, podem ser encontrados no artigo Cultura, Identidade e Futebolização em Budapeste (KOCH 2022d), aqui mesmo no portal Ludopédio.

Hungria
Elementos da cultura futebolizada húngara. Fotos: Rodrigo Koch

Breves considerações

Sem dúvida há diferenças marcantes entre as capitais do Rio Danúbio nas produtividades da futebolização. Em Wien, as crianças – nitidamente – preferem os grandes clubes e suas celebridades do cenário europeu, tendo posicionamento afastado dos clubes e seleção local. Em Bratislava, as manifestações futebolizadas raramente ocorrem através de jovens. E em Budapeste, há uma maior comercialização de produtos em lojas de souvenires, mas as preferências se mesclam entre a nostalgia do maior ídolo e da seleção húngara com os destaques do futebol europeu contemporâneo.

Europa fue y sigue siendo la patria de la traducción perpetua; durante este tiempo, ha conseguido crear un diálogo provechoso entre diferentes lenguas y lenguajes culturales sin borrar la identidad de ninguno de los participantes. (BAUMAN 209, p.128)

Em boa medida, o fenômeno pós-moderno da Futebolização traduz a citação anterior de Bauman (2009), especialmente pelo que observei e registrei em imagens nas capitais do Rio Danúbio. Há culturas que se entrelaçam, em processos de hibridização, criando novas alquimias também no futebol.

Budapeste
Marcas da futebolização em Budapeste. Fotos: Rodrigo Koch

Referências

BAUMAN, Z. Europa: uma aventura inacabada. Traducción de Luis Álvarez-Mayo. Buenos Aires, Argentina: Editorial Losada, 2009.

Danube Commission. Disponível em: https://www.danubecommission.org/dc/en/ Consultado em maio de 2022.

KOCH, R. Futebolização: identidades torcedoras da juventude pós-moderna. Brasília, DF: Trampolim Editora/Ministério da Cidadania, 2020.

KOCH, R. Cultura, Identidade e Futebol na Europa contemporâneaLudopédio, São Paulo, v. 153, n. 10, 2022a.

KOCH, R. Cultura, Identidade e Futebolização na Península Ibérica: Lisboa e ValènciaLudopédio, São Paulo, v. 153, n. 25, 2022b.

KOCH, R. Cultura, Identidade e Futebolização na Europa Ocidental: França, norte da Itália, e SuíçaLudopédio, São Paulo, v. 154, n. 28, 2022c.

KOCH, R. Cultura, Identidade e Futebolização em BudapesteLudopédio, São Paulo, v. 155, n. 18, 2022d.

Wikipédia. Rio Danúbio. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Dan%C3%BAbio Consultado em maio de 2022.

Seja um dos 9 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Rodrigo Koch

Pós-Doutor (Sociologia) pelo Institut Universitari de Creativitat i Innovacions Educatives de la Universitat de València, Doutor em Educação (Culturas Juvenis) pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestre em Educação (Estudos Culturais) pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), pós-graduado em Administração e Marketing Esportivo pela Universidade Gama Filho (UGF), e graduado em Educação Física pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Vencedor (1º lugar na classificação geral) do Prêmio Brasil de Teses e Dissertações sobre Futebol e Direitos do Torcedor - Edição 2018-2019. Pesquisador Associado do Centro Latino Americano de Estudos em Cultura - CLAEC. Professor adjunto D da Uergs - Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, lotado na unidade Hortênsias-São Francisco de Paula.

Como citar

KOCH, Rodrigo. Cultura, Identidade e Futebolização nas capitais do Danúbio. Ludopédio, São Paulo, v. 156, n. 15, 2022.
Leia também:
  • 156.33

    Futebol de Controle (III): dossiê contra o VAR

    Fabio Perina
  • 156.32

    Racismo na Fórmula 1: A mídia esportiva precisa mudar a mentalidade

    Júlia Belas
  • 156.31

    Convocar ou não convocar, eis a questão

    Gustavo Dal'Bó Pelegrini