135.43

Gestos barulhentos de um futebol para todos

Cássio Lamartine Paiva 19 de setembro de 2020

A necessária questão da inclusão da população surda levantada nas comemorações dos jogadores brasileiros

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) ainda é pouco usada por grande parte da população, pois as pessoas não têm interesse no uso dessa linguagem. Nesse sentido, o engajamento de figuras famosas ajuda na conscientização sobre como é importante o uso dessa língua para tornar possível a inclusão da população surda.

Ultimamente temos visto alguns jogadores comemorarem seus gols mandando mensagens por meio da Libras como forma de inclusão às pessoas surdas/deficientes auditivas. São gestos simbólicos, mas de grande representatividade para aqueles que falam somente por essa língua.

Thiago Galhardo comemora gol usando gestos. Foto: Reprodução/Twitter/Internacional.

No futebol brasileiro há um pequeno avanço nisso, mas por decisão individual de alguns jogadores. O caso mais recente foi de Thiago Galhardo, jogador do Internacional, quando comemorou seus dois gols no jogo contra o Ceará, na última quinta-feira (10), fazendo os gestos da Libras.

No primeiro gol, ele cumpriu uma promessa para uma torcedora. No segundo, homenageou o irmão que estava fazendo aniversário no dia.

“A fã pediu para eu fazer “vamos, Inter! Te amo!”. No segundo, eu homenageei o meu irmão, da banda Ponto de Equilíbrio, que está de aniversário hoje. Ele completa 39 anos. Um beijo, meu irmão! Parabéns!”, disse o artilheiro.

Porém, não para por aí. Um dia antes, Marinho também fez bonito quando marcou dois gols na vitória sobre o Atlético Mineiro. O atacante fez gestos que remetem a amor, beijos e Deus. Em entrevista, o atleta comentou sobre a importância da inclusão e que gostaria trazer isso mais vezes para o futebol.

“Quero poder proporcionar pra vocês também um momento ímpar do outro lado da TV”, afirmou.

Marinho comemora gol do Santos usando gestos para incluir pessoas surdas. Foto: Divulgação/Santos FC Twitter.

“Tem muitos torcedores que precisam viver essa emoção, e pouca gente se dá conta disso. Queria trazer um pouco dessa sensação para essas pessoas. Venho aprendendo diariamente, estudando. Jogador de futebol não pode ter somente responsabilidade em campo, mas fora, principalmente”, disse Marinho, por meio de sua assessoria de imprensa.

Gabriel Barbosa, o Gabigol, também participou dessa bela campanha. Em setembro de 2019, o artilheiro do Brasileirão na edição passada comemorou seu gol, diante do Cruzeiro, com os seguintes dizeres:

“Hoje tem gol do Gabigol”

“Fiquei sabendo que a primeira escola para eles (surdos) foi feita no Rio. Como não tem a plaquinha, fiz essa homenagem. Espero que tenham visto o jogo e o gol. Foi para eles”, disse.

O aprendizado da Libras é importante para uma sociedade mais justa e igualitária. No entanto, não é preciso tornar matéria obrigatória nas escolas, não é preciso forçar ninguém a aprender, mas sim fazer programas de conscientização para mostrar a importância dessa linguagem para aqueles que somente se comunicam por ela, não porque não queiram aprender outra língua, mas porque a barreira da surdez torna isso um empecilho.

A implementação de acessibilidade nas diversas áreas é um avanço em direção à inclusão. Pessoas surdas se sentem mais acolhidas e assim, ganham confiança para irem a mais lugares e terem uma vida comum.

O Fortaleza é mais um bom exemplo de inclusão no futebol. O clube implementou um projeto de acessibilidade às pessoas surdas.

André Conrado ficou surdo na infância e desde cedo descobriu sua paixão pelo futebol. Torcedor do Fortaleza, se associou em 2016 ao Leão do Pici. Porém, como é surdo, enfrentou uma barreira na comunicação, ficando desmotivado em renovar sua carteirinha. Foi quando surgiu um projeto do clube que o fez repensar sua continuidade no quadro de associados.

Fortaleza implementa acessibilidade à comunidade surda em entrevistas coletivas. Foto: Reprodução/Fortaleza1918.com.br.

Em novembro de 2018, o Tricolor de Aço implementou o programa de acessibilidade a torcedores surdos, iniciando com tradução de Libras nas coletivas de imprensa e, posteriormente, estendeu para atendimento ao cliente nos estádios e até mesmo um grupo no WhatsApp foi criado para aqueles que enfrentam a barreira do som, com informes específicos para esse grupo.

São essas iniciativas que incentivam outras pessoas a quererem mudar. Os gestos de Gabigol, Marinho, Thiago Galhardo e do Fortaleza são extremamente importantes para ajudar a romper essa barreira e incluir os surdos no mundo do futebol. Portanto, que em todo gol haja sempre os mais barulhentos silêncios de comemorações em Libras.


Seja um dos 26 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Cássio Lamartine Paiva

Acadêmico de Jornalismo pela UFRN.
Conhecimento é vida!
Surdo que ouve com auxílio de próteses auditivas.

Como citar

PAIVA, Cássio Lamartine. Gestos barulhentos de um futebol para todos. Ludopédio, São Paulo, v. 135, n. 43, 2020.
Leia também:
  • 135.72

    O peso da ausência do torcedor nos estádios e as estratégias para garantir a participação simbólica das torcidas na arquibancada

    Ingryd Melyna Dantas da Silva
  • 135.71

    Um grande vazio de ideias: o desempenho do Palmeiras a partir das fases e princípios operacionais do esporte coletivo

    Gustavo Dal'Bó Pelegrini
  • 135.70

    O goleiro entre o gol 1000 de Pelé e a ditadura argentina

    Pedro Henrique Brandão