133.37

Memórias de um Derby: um olhar alviverde

Giorgio Ferrari 15 de julho de 2020

Há tantas coisas que sinto falta… ainda mais nestes tempos de isolamento e pandemia. Há muitos motivos para ter saudade; amigos, lugares, encontros, família…a saudade aperta para todos os lados…inclusive até para o futebol! Esporte que acompanho desde a infância. E antes desse período remoto, meu “nonno” ensinou ao meu pai sobre as cores alviverdes do Palestra Itália.

Palestra Itália x Corinthians 1940. Fonte: Wikipédia

“Explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense… É simplesmente impossível!”, já dizia Joelmir Beting.

Saudades do Palmeiras? Com certeza, é impossível não sentir. Porém como eu disse, a saudade aperta para todos os lados…

Antes da pandemia chegar ao Brasil, o campeonato paulista aguardava a décima primeira rodada. Uma rodada normal para todos da competição, mas para dois clubes o próximo jogo teria um significado a mais, um jogo capaz de parar a cidade de São Paulo, um jogo capaz de parar o Brasil. O jogo que seria um clássico e um dos mais efervescentes do futebol mundial, o Derby Paulista.

Palmeiras x Corinthians em 2018. Fonte: Wikipédia

O Derby Paulista é um jogo tão intenso e importante que é capaz de mexer com as estruturas do corpo, da fala, da visão que só enxerga a vitória. A ansiedade que a véspera do jogo traz pode ser interminável e até eterna. Antes de qualquer Derby Paulista, a memória, a glória e os lances polêmicos são tirados da gaveta e colocados em pauta. Palmeirenses e corintianos vivem e revivem o clássico.

Quando Palmeiras e Corinthians acontecia, a semana antecedente ao clássico despertava em mim profundas preocupações e inquietações.

Por mais que eu seja apenas um simples torcedor, o Derby Paulista provocava a sensação de estar em campo junto aos jogadores, de que você está junto para decisão e para ser decisivo. Adrenalina chega na voz, na ponta dos dedos, no distintivo da camisa, que explica naturalmente o que é sentir aquilo.

O futebol é como um filme, que nunca possui final igual. O clássico, o Derby, é a cena preferida dos espectadores. Cena em que analisamos o cenário, as atuações e como o jogo de câmeras e suas perspectivas selam a bola dentro do gol.

Sinto falta deste filme e principalmente desta cena, do maior clássico do Brasil.

 

Seja um dos 27 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Giorgio Ferrari

Nasceu no mesmo ano que o Brasil foi tetra campeão mundial, e o Palmeiras octacampeão brasileiro.  Graduado no curso de licenciatura em História, pela Universidade Estadual do Norte do Paraná. (UENP)

Como citar

FERRARI, Giorgio. Memórias de um Derby: um olhar alviverde. Ludopédio, São Paulo, v. 133, n. 37, 2020.
Leia também:
  • 133.70

    A participação de atletas e clubes capixabas no cenário do futebol nacional

    Fábio Bloise Mundstock, Alexandre Hilgert
  • 133.69

    Başakşehir campeão, reislamização da basílica de Santa Sofia: gol de Erdoğan?

    Makchwell Coimbra Narcizo
  • 133.68

    Os donos no futebol

    Irlan Simões da Cruz Santos