165.23

“Meu tricolor de aço” – Resenha do documentário em comemoração ao centenário do Fortaleza

O documentário foi realizado em comemoração ao centenário do Fortaleza Esporte Clube, uma obra que aborda a história de um grande clube do futebol nacional. Foi lançado em 2018, conta com depoimentos de torcedores e torcedoras, ex-jogadores, técnicos e dirigentes que ajudaram a construir a trajetória do Fortaleza até a atualidade. Posso citar a participação de alguns, como o ex-jogador Bechara, Clodoaldo, os ex-técnicos Ferdinando Teixeira, Rogério Ceni e o presidente Marcelo Paz, que trazem a partir de seus olhares, memórias que auxiliam a contar a história do clube de maneira emocionante e nostálgica.

Estes depoimentos que narram os eventos importantes para e na história do Clube que vão desde sua fundação em 1918 até a conquista do Campeonato Brasileiro da Série B, no ano de 2018. São também destacados momentos marcantes para o clube e seus torcedores, como a conquista do Campeonato Cearense de 1920, a primeira vitória sobre o rival Ceará em 1933 e a inauguração do Estádio Alcides Santos em 1954.

Para além dos momentos de glória, o documentário aborda períodos difíceis enfrentados pelo clube, como a década de 1990 que foi marcada por dificuldades financeiras e queda para a série C do futebol nacional. No entanto, como mostra o documentário, o Fortaleza conseguiu se reerguer e voltou a ser protagonista do futebol.

A narrativa do documentário está centrada no futebol masculino e por uma determinada forma de torcer, tendo em vista as características do futebol no Brasil o que já era esperado. Um novo passo para se alinhar a postura de valorização das representatividades pode ser abordar algo que ficou esquecido como a história do futebol feminino do clube e as diferentes representações torcedoras.

O documentário do centenário do Fortaleza é uma obra imperdível para os torcedores e torcedoras do clube e para os amantes do futebol em geral. Além de celebrar a história do tricolor cearense, a obra também busca mostrar o futebol como capaz de unir pessoas e criar laços de amor e paixão pelo esporte e por um clube.

Disponível na Netflix…

Fortaleza
Fonte: divulgação

Ficha Técnica

Produção e Distribuição: Estação Luz Filmes

Co-produção: Black Jack Filmes

Trilha Sonora: Edinho Gomes e Valdo Siqueira

Direção de Fotografia: Tibico Brasil

Montagem: Rui Ferreira e Valdo Siqueira

Direção de Produção: Thell Maia e Júnior Mendes

Som Direto: Paulo Ribeiro e Lucas Inocêncio

Roteiro: Glauber Filho

Produtor: Luís Eduardo Girão

Co-produtor: Júnior Mendes

Produtor Executivo: Sidney Girão

Direção: Glauber Filho, Tibico Brasil e Valdo Siqueira

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Ludopédio.
Seja um dos 16 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Danilo da Silva Ramos

Secretário do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer - PPGIEL da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional - EEFFTO da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG desde 2017 e mestrando deste mesmo programa (turma 2020). Concluiu o ensino médio no Colégio Estadual Américo Pimenta (2006). Possui graduação em Licenciatura em História pelo Centro Universitário Geraldo di Biase - UGB (2011), Membro dos Grupos de Pesquisa: História do Lazer (HISLA), Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero, Raça/Etnia e Sexualidade (NEPGRES) e Grupo de Estudos sobre Futebol e Torcidas (GEFuT).

Como citar

RAMOS, Danilo da Silva. “Meu tricolor de aço” – Resenha do documentário em comemoração ao centenário do Fortaleza. Ludopédio, São Paulo, v. 165, n. 23, 2023.
Leia também:
  • 178.14

    Racismo: Vinícius Jr. e a nova fronteira do preconceito no esporte

    José Paulo Florenzano
  • 178.13

    História e contemporaneidade dos festivais na várzea paulistana

    Alberto Luiz dos Santos, Aira F. Bonfim, Enrico Spaggiari
  • 178.12

    Jogo 2: Estreia da Arena na Libertadores

    Gustavo Cerqueira Guimarães