140.47

O futebol nos diferentes recantos do mundo: origem e sistematização das regras motrizes do desenvolvimento de uma paixão global e de massas

Vinícius Triches 22 de fevereiro de 2021

Quando e onde se dá a origem oficial do futebol? De que forma e porque as principais regras do desporto foram sendo inseridas cronologicamente? Por que o futebol se torna uma paixão mundial e de massas?

Murad (2012) vai destacar que o futebol foi criado em 26 de outubro de 1863 na Inglaterra, momento este em que as regras do jogo serão unificadas em Londres, no período da segunda fase da Revolução Industrial.

A unificação das regras faz com que o jogo acabasse por se tornar um esporte, visto que passa a ter um regramento universal, isto é, igual para todos, dentro de um contexto em que a ordem e a disciplina passam a serem ferramentas que tem como meta a civilidade nas relações sociais. Assim, o futebol nasce como consequência e contribuição do processo civilizacional. Entretanto, faz-se a seguinte pergunta: porque o futebol acabou por nascer na Inglaterra?

Melo (2000) menciona que os primórdios da maioria dos esportes estão situados neste país, visto que foi lá que “[…] as antigas práticas da população (erroneamente chamadas de pré-esportivas) começaram a se organizar enquanto um campo relativamente autônomo” (MELO, 2000, p. 14), ao contarem com fatores como uma lógica interna específica, calendários próprios e corpo de técnicos especializados, o que fez com que fosse gerado um mercado de consumo com sentido completamente diferente ao praticado anteriormente. A Taça da Inglaterra teria sido, de acordo com Carvalho e Marchi (2006), a competição mais antiga de futebol do mundo.

Oriundo das escolas burguesas inglesas, a unificação das regras que consagraram o futebol moderno e a sua posterior disseminação nestes ambientes escolares foi realizado fundamentalmente com o intuito de controlar os impulsos da juventude, visando preparar os futuros líderes do império britânico, ao apregoar valores como o cavalheirismo, boa conduta e honestidade, dentre outros, segundo destacado por Melo (2000).

Dentro da mesma perspectiva de análise, Rossi e Mendes Jr. (2014) mencionam também que as escolas inglesas neste período funcionavam não apenas como centros de ensino, mas também de diferentes práticas esportivas, sendo estas praticadas nas horas livres em seus pátios. Apesar da predominância do críquete, os recém-criados rugby e o futebol começavam a despertar cada vez maior interesse.

Os autores destacam que em 1863 foi na Universidade de Cambridge, através da publicação das suas próprias regras para a prática, em um total de 14 (catorze), que o nascimento formal do futebol ocorreu. Foi nesse período que o advogado e fã de esportes Ebenezer Cobb Morley começou a reunir os clubes onde a modalidade era praticada bem foi criada a Associação Inglesa, juntando todos aqueles que se dispusessem a jogar de acordo com as regras estipuladas por Cambridge.

Nos anos posteriores aos do nascimento formal do futebol são agregados novas regras e inovações, visando um melhor funcionamento e atenção a novas demandas surgidas oriundas da maior prática do mesmo. Estas novidades para a época ainda estão vigentes nos dias atuais, tendo sido adaptadas ao longo das décadas. São elas, de acordo com o ano de seu aparecimento, segundo destacado por Dienstmann e Denardin (1999), dentre outras, por ordem cronológica:

  • 1866: aparece a regra do impedimento, visando criar maior participação de todos os jogadores em todas as faixas do campo;
  • 1868: o árbitro e o bandeirinha aparecem oficialmente como figuras mediadoras do jogo;
  • 1869: é criado o tiro de meta:
  • 1871: o goleiro passa a ter o direito de usar as mãos em toda a sua faixa de campo defensivo e a bola passa a ter peso mínimo e máximo para começar as partidas;
  • 1872: surge o escanteio e a falta com tiro livre, esta última ainda sem distância mínima em relação a presença do jogador adversário;
  • 1873: define-se que a troca de campos dos times começará a ser feita no intervalo dos jogos e não mais após cada gol;
  • 1877: é dado o direito ao árbitro de advertir os jogadores;
  • 1880: estabelece-se que os jogos deverão ter duração de uma hora, possuindo dois intervalos com trinta minutos cada;
  • 1891: os pênaltis são introduzidos e as goleiras passam a ter redes;
  • 1892: é introduzido o tempo extra (acréscimos) nas partidas;
  • 1912: as ações dos goleiros ficam limitadas somente a sua própria área, bem como estes passam a vestir roupas diferentes dos companheiros de seu time;
  • 1958: as substituições de jogadores começam a ser permitidas, mas somente por lesão. Somente a partir de 1970 é que os treinadores começam a poder fazer duas substituições por partida, independente do motivo.

Carvalho e Marchi (2006) destacam que o futebol é então exportado, após consolidar-se na Inglaterra, para outros países: França (1872), Suíça (1879), Bélgica (1880), Alemanha, Dinamarca e Holanda (1889), Itália (1893) e aos países da Europa Central em 1900.

Dada à proporção que o esporte começou a tomar neste período, é criada em 21 de maio de 1904 a Football International Federation Association (FIFA), cujo objetivo era a imposição jurídica de uma entidade para a representação do futebol em caráter mundial. Seu primeiro presidente foi o francês Robert Guérin, entre 1904 e 1906, e o segundo foi o inglês Daniel Burley Woolfall (1906 a1918).

O primeiro grande êxito da nova entidade é a sua admissão como membro da International Board no ano de 1924, já sob a presidência do francês Jules Rimet, que ajudaria a criar anos depois a Copa do Mundo de seleções, que teve sua primeira edição no ano de 1930, com a vitória do Uruguai, sendo este também o país sede do evento. A primeira edição do evento teve a participação de 13 (treze) seleções nacionais, sendo 7 (sete) da América do Sul, 2 (duas) da América do Norte e 4 (quatro) da Europa.

Cartaz da Copa do Mundo de 1930
Cartaz da Copa do Mundo de 1930. Fonte: Wikipedia

 Atualmente o esporte pode ser considerado um fenômeno mundial, praticado em quase todos os países do mundo. Melo (2000) destaca que existem mais países filiados a FIFA do que as Organizações das Nações Unidas (ONU) e o principal evento do esporte, a Copa do Mundo de seleções, mobiliza mais público no local e através de transmissões esportivas do que os Jogos Olímpicos, acontecimento que reúne mais de vinte modalidades esportivas. Com 193 (cento e noventa e três) nações ligadas a FIFA, o futebol congrega oficialmente milhões de jogadores registrados profissionalmente, isso sem contar com os outros milhões que são praticantes ocasionais, ainda de acordo com o autor.

A Copa do Mundo de seleções evento teve, até a última edição, como grandes campeões, respectivamente, o Brasil (com cinco títulos conquistados nos anos de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002); a Alemanha (1954, 1974, 1990 e 2014) e a Itália (1934, 1938, 1982 e 2006), com quatro títulos cada; os bicampeões Uruguai (1930 e 1950), Argentina (1978 e 1986) e França (1998 e 2018); e, com um único título, Inglaterra (1966) e Espanha (2010).

França goleia a Croácia e é bicampeã na Copa do Mundo de 2018

França goleia a Croácia e é bicampeã na Copa do Mundo de 2018. Fonte: Reprodução Twitter

 

Referências 

CARVALHO, A. I.; MARCHI, F. L. de. Futebol: história e bastidores de uma paixão nacional. Goiânia: Vieira, 2006.

DIENSTMANN, C.; DENARDIN, P. E. Um século de futebol no Brasil: do Sport Club Rio Grande ao Clube dos Treze. Porto Alegre: APLUB, 1999.

MELO, V. A. de. Futebol: que história é essa?! In: CARRANO, P. C. R. (org.). Futebol: paixão e política. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

MURAD, M. A violência no futebol. São Paulo: Saraiva, 2012. (Coleção para entender).

ROSSI, J.; MENDES JÚNIOR, L. Guia politicamente incorreto do futebol. São Paulo: LeYA, 2014.


Seja um dos 25 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Vinícius Triches

Bacharel em Ciências Econômicas e Mestre em Economia. Doutorando em Psicologia Social, com a tese desenvolvida na área da "Identidade Social, Representações Identitárias, Torcidas de Futebol e dupla Gre-Nal". Atualmente também cursa Licenciatura em Sociologia.

Como citar

TRICHES, Vinícius. O futebol nos diferentes recantos do mundo: origem e sistematização das regras motrizes do desenvolvimento de uma paixão global e de massas. Ludopédio, São Paulo, v. 140, n. 47, 2021.
Leia também: