152.18

O surpreendente Campo Grande de Dinamite e Claudio Adão

Gabriel de Oliveira Costa 16 de fevereiro de 2022

Conhecido como Galo da Zona Oeste, o Campo Grande é um dos tradicionais clubes do Rio de Janeiro que marcaram época. A nível nacional, conquistou em 1982, seu único título de grande porte: o Brasileirão série B. Presente na elite do futebol brasileiro em algumas poucas oportunidades, o clube queria iniciar os anos 90 de forma avassaladora. Após ficar em 10º, salvando-se do rebaixamento por 3 pontos, o “Campusca” apostou em Roberto Dinamite e Claudio Adão para o Cariocão de 1991, onde fez história.

A ideia era simples, o Campo Grande queria impactar o futebol carioca e viu uma brecha no elenco do Vasco. Ao fim do Brasileirão 1990, quando o Cruzmaltino ficou no meio de tabela, Roberto Dinamite foi dispensado. Portanto, aos 37 anos, o já experiente artilheiro queria um novo desafio e aceitou a proposta do Galo. Assim, o principal reforço do clube chegaria para o promissor estadual que prometera.

Em 1991, Dinamite foi o atacante do Campo Grande (via Globo)
Em 1991, Dinamite foi o atacante do Campo Grande. Fonte: reprodução Rede Globo

Dinamite e Adão 

Após estrear em um amistoso contra a Portuguesa de Desportos (vitória de 1-0), Dinamite estava pronto para jogar oficialmente pelo clube. Apesar da derrota na estreia, justamente contra o Vasco em São Januário (1-0), o Campo Grande fez bonito e terminou em 5º, atrás de Fluminense, Flamengo, Botafogo e Vasco. Portanto, para o segundo turno o time empolgou e visando ajudar Dinamite, Claudio Adão chegou.

Atacante ex-Santos, Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense, Corinthians e seleção brasileira, Adão aos 36 anos era novamente a dupla de Dinamite. Juntos, eles jogaram no Vasco e reeditaram dupla na Zona Oeste, onde também viria o renomado Paulo César Gusmão, que anos depois se consolidara bom treinador.

Claudio Adão fez história no futebol carioca (via CBF)
Claudio Adão fez história no futebol carioca. Fonte: reprodução CBF

E assim o Campusca foi para o segundo turno embalado. O troco contra o Vasco chegou: 2-0 no Ítalo Del Cima, em Campo Grande.  Apesar de liderar a Taça Rio por alguns jogos, o Campo Grande terminou novamente em 5º, posição esta que foi a geral no campeonato.

Dinamite que buscava um desafio, conquistou sucesso. Após 14 partidas no Cariocão, foi contratado novamente pelo Vasco para o Brasileirão de 1992, onde foi semifinalista. Já Claudio Adão ainda ficaria para o ano seguinte, antes de sair para o Ceará e em 1996 se aposentar pelo Volta Redonda.

Com o Flamengo campeão estadual, o Campo Grande fez incríveis 22 jogos, 8  vitórias, 8 empates e 6 derrotas, com 30 gols marcados e 29 sofridos.

Seja um dos 10 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriel de Oliveira Costa

Jornalista carioca, tenho 22 anos. Apaixonado por futebol, fator principal pelo qual sou motivado para trabalhar com  a comunicação social, desde março realizo trabalhos direcionados ao conteúdo esportivo. Há dois anos trabalho com pautas de economia e política.

Como citar

COSTA, Gabriel de Oliveira. O surpreendente Campo Grande de Dinamite e Claudio Adão. Ludopédio, São Paulo, v. 152, n. 18, 2022.
Leia também:
  • 152.33

    Onomatorcida

    Cláudia Samuel Kessler
  • 152.32

    Reflexões sobre Contos Brasileiros de Futebol

    Anderton Taynan Rocha Fonseca
  • 152.31

    O império azul de um homem controverso

    Lucas Costa