155.21

“Que saudade que eu tava de torcer pelo carnaval”: um ensaio fotoetnográfico dos Gaviões da Fiel (parte 2) 

Acompanhar a apuração do carnaval paulistano de dentro da quadra de uma das torcidas-escolas, como os Gaviões da Fiel, foi, como vimos na parte 1, uma experiência imersiva do que se torna o torcer pelo carnaval a partir de dinâmicas comumente mais utilizadas em prol das arquibancadas do futebol.

Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.

Com isto, não queremos dizer que as escolas de samba não construíram, ao longo da história, toda uma atmosfera torcedora de sua comunidade, principalmente nessa hora da apuração em suas quadras (prática bastante comum a todas). No entanto, o que temos percebido etnograficamente por meio do exemplo das torcidas-escolas é como as formas de torcer, ou seja, o uso de materiais como bandeiras de mastros, sinalizadores, batucadas, cantos de torcida, e toda uma maneira coletiva de se portar enquanto torce, tem se estabelecido também no torcer pelo carnaval, indo muito além do clubismo atrelado unicamente ao futebol (ANDRADE; SOUZA JUNIOR & TOLEDO, 2021)[1]. Como bem vimos durante a apuração do carnaval deste ano.

E essa forma de torcer que agrega e aproxima essas duas esferas, o futebol e o carnaval, tem reverberado cada vez mais nos pertencimentos dos próprios interlocutores, como atesta Dentinho (ex-presidente dos Gaviões da Fiel): “Nunca saí em outra escola, tampouco me liguei fortemente ao samba. Eu gosto apenas do carnaval da Gaviões da Fiel. Essa é a realidade” (HOLLANDA & FLORENZANO, 2019, p. 313). O que faz com que a saudade do carnaval seja, no exemplo gavião, também uma saudade de torcer pelo carnaval. E foi isso que buscamos demonstrar com os ensaios fotoetnográficos.

Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.
Gaviões da Fiel
Torcendo pelo carnaval. Arquivo fotoetnográfico dos autores, 2022.

Notas

[1] Cabe destacar que muito desse movimento está atrelado ao fato da estética torcedora através dos materiais em torno do torcer estar sendo cada vez mais cerceada nos estádios de futebol. Fazendo com que as torcidas organizadas encontrem outros caminhos de expressarem sua vida material do torcer, como no próprio carnaval.

Referências bibliográficas

ANDRADE, Marianna; SOUZA JUNIOR, Roberto & TOLEDO, Luiz Henrique. Pertencimento clubístico e pertencimento torcedor: materialidade e gênero numa torcida organizada de futebol. Revista Esporte & Sociedade, Rio de Janeiro, ano 14, n. 34, 2021.

HOLLANDA, Bernardo & FLORENZANO, José Paulo. Territórios do torcer: depoimentos de lideranças das Torcidas Organizadas de futebol. São Paulo: Educ, 2019.

Seja um dos 27 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Marianna Andrade

Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e Bacharel em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tem experiência na área da Antropologia e estuda as torcidas organizadas e as relações de gênero no futebol.  Compõe o Grupo de Estudos sobre Futebol dos Estudantes da EFLCH (GEFE) e o LELuS (Laboratório de Estudos das Práticas Lúdicas e Sociabilidade). Contato: [email protected]

roberto souza junior

Doutorando e mestre em Antropologia Social no PPGAS da UFSCar, onde também é bacharel em Ciências Sociais. Pesquisador associado ao LELuS (Laboratório de Estudos das Práticas Lúdicas e de Sociabilidade). Trabalha, a partir de etnografias urbanas e fotografias, com torcidas organizadas de futebol que são também escolas de samba do carnaval paulistano. E-mail: [email protected]

Como citar

ANDRADE, Marianna C. Barcelos de; SOUZA JUNIOR, Roberto A. P.. “Que saudade que eu tava de torcer pelo carnaval”: um ensaio fotoetnográfico dos Gaviões da Fiel (parte 2) . Ludopédio, São Paulo, v. 155, n. 21, 2022.
Leia também:
  • 155.33

    Pelo direito à memória: Nordestão e seus predecessores

    Itamá do Nascimento
  • 155.32

    Alfredo Di Stéfano e o Sarriá: o adeus de um gênio

    Gabriel de Oliveira Costa
  • 155.31

    Las presas que juegan al fútbol

    Federico Frau