154.2

Rebolada de milhões: Torcida e engajamento levam Anitta ao topo

Há pelo menos alguns meses a música “Envolver” da cantora Anitta está disponível em diversas plataformas de streaming. Porém, o boom desse hit só aconteceu após a coreografia explodir no TikTok e se transformar em um viral reproduzido por milhões de pessoas em vários lugares do mundo. 

No dia 24 de março deste ano, a internet, especificamente o Twitter, estava em clima de final de campeonato. A rede social e seus influencers estavam todos mobilizados em defesa e incentivo à cantora que naquela data, pertencia ao seleto grupo de artistas que formavam o top 5 de músicas mais tocadas no Spotify

Anitta
Foto: divulgação

Entre as diversas personalidades famosas que deram essa ajuda, o streamer Casimiro, conhecido pelas lives de futebol e por manter no ao vivo mais de 500 mil pessoas, deu apoio a “Envolver”. Em seu Twitter, o influencer postou que estava ouvindo a música diversas vezes e o perfil oficial do Estádio Maracanã o respondeu indagando: “Será que vou botar pra tocar no jogo hoje?” Dito e feito. A música tocou no início da partida e o Brasil ainda goleou o Chile por quatro a zero. 

Um dia histórico em que o país e as redes sociais estavam mobilizadas “pelo” torcer. Esse ato em torno dos esportes faz com que pessoas impulsionem, pelos seus afetos, suas paixões e desejos em jogos. No início da pandemia, a prática de torcer no Twitter ganhou força entre os usuários da rede social, a partir do reality show Big Brother Brasil.  No texto “Entre BBB e futebol um ponto em comum: o torcer” há os desdobramentos sobre esse debate. 

Um tweet da cantora Anitta dizendo que "Gente... nunca vi o Brasil tão unido"
Reprodução: Twitter @Anitta

Essa necessidade de torcer evidencia que o aspecto da torcida é relevante, tanto nos debates acadêmicos quanto na vida cotidiana. Logo, esse processo lúdico relacionado às práticas esportivas que estamos acostumados, é manifestado; mas a causa da viralização que envolve todos os agentes fica de fora: a coreografia. 

A dancinha de TikTok foi uma malandragem pensada pela cantora. Anitta contratou a dançarina Aliya Janell que tem por volta de 2,5 milhões de seguidores no instagram e no TikTok. A coreógrafa assina composições dançantes de artistas pops como Nicki Minaj e Jennifer Lopez. 

Nada é por acaso. Na América Latina, o twerk, estilo de dança que prioriza o rebolado, se popularizou pelo gênero musical reggaeton que foi utilizado na composição melódica de “Envolver”. Há muitos passos coreográficos no clipe dessa música que exaltam o requebrar do corpo. Tanto no nível alto quanto médio e baixo, encontramos Anitta e o dançarino Ayoub Mutanda reforçando o caráter sensual e solto desse estilo de dança que se apoia nos movimentos dos quadris e em agachamentos. 

Bandeira do brasil sendo metade original, metade escrito "y no te voy a envolver"
Reprodução: Twitter @MegaFonePop

A coreografia, se pensada como um conjunto estratégico de elementos, funcionou muito bem. Ainda que reduzida à chamada dancinha, foi a partir desses movimentos corporais lúdicos de twerk que a música chegou ao primeiro lugar do Spotify. A brincadeira, como é retratada de forma inteligente, se transformou em um #Challenge do TikTok que carrega o nome de “El paso de Anitta”. Navegando pelas redes sociais, vemos muitos artistas, anônimos e famosos reproduzindo a coreografia que passa pelo crivo dos processos lúdicos e se transforma em um desafio, um esporte, ou melhor dizendo: uma disputa entre usuários do TikTok que viralizam o conteúdo ignorando o fato social que é a própria dança. 

O carro-chefe que se sobressai é a cantora, claro; mas sua alegoria é a dança viralizada na rede social. Sabemos que a composição harmônica de elementos, resulta nas expectativas que as geraram, como neste exemplo. Nesse sentido, pode-se dizer que a dança colocou a música no lugar que ela está hoje. Deu voz à musicalidade. Envolveu corporalidade, ritmo e estratégia a um movimento que unifica e cria uma rede de apoio capaz de mobilizar milhões de pessoas a um objetivo comum: levar Anitta ao topo. 

Seja um dos 27 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriela Alvarenga

Antropóloga | Mestranda em Antropologia Social  | Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos. Pesquiso e me interesso pelas temáticas dos estilos de vida da juventude, danças (sobretudo Popping e Breaking), corporalidades, festas e  práticas esportivas.

Como citar

ALVARENGA, Gabriela. Rebolada de milhões: Torcida e engajamento levam Anitta ao topo. Ludopédio, São Paulo, v. 154, n. 2, 2022.
Leia também: