Família joga bola: constituição de jovens futebolistas na várzea paulistana

Biblioteca

Seja um dos 18 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Tese

Família joga bola

constituição de jovens futebolistas na várzea paulistana
Ano

2015

Faculdade/Universidade

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo

Tema

Tese

Área de concentração

Doutorado em Antropologia Social

Cidade

São Paulo

Páginas

470

Arquivos

Resumo

A produção de jogadores de futebol em Guaianases e outros bairros periféricos da zona leste de São Paulo é o foco desta tese. Com base em descrições das relações que permeiam o sistema futebolístico (amador e profissional) tais como o engajamento de familiares, agentes de futebol, professores e diretores do clube varzeano Botafogo de Guaianases, desvela-se os processos de constituição de jovens futebolistas engendrados por projetos familiares. Voltados à efetivação da carreira profissional, os projetos têm início com a revelação de um “dom” reconhecido na prática cotidiana pelo próprio futebolista e por outros atores: familiares, professores, agentes, espectadores etc. A primeira parte desta tese destaca a centralidade da várzea paulistana na constituição dos jovens, implicando discussões sobre o futebol de várzea, a cidade, o bairro e a circulação pelos espaços urbanos. A segunda parte apresenta a constituição de jovens futebolistas por meio de análises sobre o aprendizado de futebol em uma escolinha imersa no ambiente varzeano, a elaboração de projetos familiares centrados em investimentos específicos no filho/irmão futebolista, as atuações dos agentes de futebol enquanto mediadores com o campo profissional, e, por fim, sobre a composição de famílias esportivas a partir de trajetórias familiares. Os jovens futebolistas são constituídos e constituidores de relações e práticas de fazer família no sistema futebolístico. O conjunto de tais relacionalidades é o que chamo de família esportiva, ou seja, a objetificação das relações que produzem jovens futebolistas.

Palavras-chave: antropologia do esporte; família; juventude; futebol de várzea, relacionalidade.

Abstract

The production of football players in Guaianases and other São Paulo city east outskirts is the focus of this thesis. From descriptions of the relations that permeate the football system (amateur and professional), such as the engagement of family, football agents, teachers and directors of the amateur club Botafogo de Guaianases, unveiling the processes of formation of young footballers engendered by family projects. Focused on the effectiveness of career, projects start with the revelation of a “gift” recognized in everyday practice by footballer himself and by other social actors: family, football teachers, players’ agents, spectators etc. The first part of this thesis attempts to highlight the centrality of the amateur universe (várzea) in the constitution of young people crossing the discussions about amateur football, the city, the neighborhood and the circulation through urban spaces. The second presentes the constitution of young footballers through analyzes on learning in a football scholl immersed in the amateur environment, the development of family projects focused on specific investments in the son/brother footballer, the performances of players’ agents as mediators with the professional, and, finally, on the composition of sports families from the description of familiar trajectories. The young footballers are both constituted by and producers of relations and practices of making family in the football system. The set of such relatedness is what is called here sports family, i.e., the objectification of relations that produce young footballers.

Keywords: anthropology of sport; family; youth; amateur football; relatedness.

Sumário

INTRODUÇÃO, 10

PARTE I – A VÁRZEA... NA VIDA EM GUAIANASES, 29 Capítulo 1 - Campos, festas e pedreiras: narrativas varzeanas, 30 Capítulo 2 - O Botafogo, cervejas e o rodar: “a várzea exige muito”, 66 Capítulo 3 - “Futebol e política andam de braços dados”, 112

PARTE II – O FUTEBOLISTA E A FAMÍLIA, 175 Capítulo 4 - Dinâmicas do “aprender” futebol, 176 Capítulo 5 - O futebol como projeto familiar: investimentos e sacrifícios, 268 Capítulo 6 - Entre “arapongas” e “traições”: proximidade e circulação na atuação dos agentes de futebol, 326 Capítulo 7 - Famílias esportivas: narrativas e trajetórias de jovens futebolistas, 391

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 452

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 458

Referência

SPAGGIARI, Enrico. Família joga bola: constituição de jovens futebolistas na várzea paulistana. 2015. 470 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
Cadastre-se para receber novidades