Um sentido popular da copa do mundo de 2014 no Jornal Zero Hora

Biblioteca

Seja um dos 26 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Tese

Folkcomunicação na imprensa de referência

Um sentido popular da copa do mundo de 2014 no Jornal Zero Hora
Ano

2017

Faculdade/Universidade

Faculdade de Comunicação Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Orientador(a)

Beatriz Dornelles

Tema

Tese

Área de concentração

Doutorado em Comunicação Social

Páginas

289

Arquivos

Resumo

Nesta tese problematiza-se a construção de um sentido popular da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, pelo jornal Zero Hora, da cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. O objetivo geral do estudo é compreender como Zero Hora construiu, por meio da prática da folkcomunicação em seus textos, um sentido popular para o megaevento esportivo durante o período de realização da competição no país, entre 12 de junho e 13 de julho de 2014. A metodologia utilizada é a da “análise de conteúdo”, de Laurence Bardin. Investiga-se o “Jornal da Copa”, caderno especial de Zero Hora, criado para a cobertura e a tematização do acontecimento, com circulação nas edições diárias de ZH, do dia 12 de junho a 14 de julho de 2014. A análise apresentada é produto da exploração de cerca de 300 textos entre notícias, reportagens e crônicas. As matérias foram distribuídas em seis eixos temáticos – “jogos”, “gente”, “Porto Alegre”, “protagonistas”, “Seleção Brasileira” e “polícia” –, que orientaram o exame das estratégias comunicacionais de Zero Hora para a Copa de 2014. A hipótese de trabalho, validada na análise, é a de que Zero Hora, como veículo jornalístico da imprensa de referência, praticou um jornalismo popular, através de um processo de folkcomunicação. A investigação apontou que o sentido popular da Copa do Mundo de 2014, projetado por Zero Hora, foi o da integração da imprensa com o acontecimento e com o público do jornal, principalmente com os leitores da seção de Esportes e com fanáticos ou apenas simpatizantes do futebol, audiência potencial da competição. Zero Hora procurou promover a integração da comunidade local como um todo ao megaevento esportivo pelo engajamento de seus jornalistas na midiatização da Copa de 2014. A análise explicita a tentativa de uma união mental da sociedade. Nossa pesquisa se sustenta, em âmbito epistemológico, no paradigma da folkcomunicação, de Luiz Beltrão (1918-1986), posicionando-se na linha de estudos da folkmídia, que explora os processos de apropriação da cultura popular pelos meios de comunicação de massa.

Palavras-chave: Comunicação; Copa do Mundo Fifa; folkcomunicação; jornalismo; Zero Hora.

Abstract

This thesis examines the construction of a popular sense of the 2014 World Cup, in Brazil, by the Zero Hora newspaper, from Porto Alegre, Rio Grande do Sul‟s capital. The study overall objective is realize how Zero Hora built a popular sense for the mega-sports event, through folkcommunication in their texts, during the course of the competition in Brazil, from June 12 to July 13, 2014. Laurence Bardin‟s “content analysis” was adopted as research method to investigate the special section of Zero Hora, created to cover and thematize the World Cup, “Jornal da Copa”, with daily circulation in the editions of ZH, from June 12 to July 14, 2014. The presented analysis resulted from exploring about 300 texts between news, articles and stories. The subjects were divided into six thematic areas – “games”, “people”, “Porto Alegre”, “protagonists”, “Brazilian Soccer Team” and “police” –, that guided the examination of Zero Hora‟s communication strategies for the 2014 World Cup. The working hyphotesis, validated by the analysis, is that Zero Hora, as reference press, practiced a popular journalism, through a folkcommunication process. The research pointed that the popular sense of the 2014 World Cup intended by Zero Hora was the integration between the press and the event and the press with the newspaper‟s readers, manly with the sports sections readers and soccer supporters, potential competition audience. Zero Hora sought to promote the integration of the local community as a whole to the mega-sports event by the engagement of its journalists in media coverage of the 2014 World Cup. The analysis shows the attempt of a society mental union. Our research is based on Luiz Beltrão (1918-1986) folkcommunication paradigm, positioning itself in the folkmídia studies that explores the popular culture appropriation processes by the mass media.

Palavras-chave: Communication; Fifa World Cup; folkcommunication; journalism; Zero
Hora

Sumário

1 INTRODUÇÃO, 13
1.1 JUSTIFICATIVA, 17
1.2 OBJETIVO GERAL, 24
1.2.1 Objetivos específicos, 24
1.3 PROBLEMA, 25
1.4 HIPÓTESE, 28

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA E DOCUMENTAL, 31
2.1 EPISTEMOLOGIA DA COMUNICAÇÃO, 31
2.2 FOLCLORE: DISCIPLINA, DINÂMICA SOCIAL E MIDIATIZAÇÃO, 40
2.2.1 O jogo: Pensando com Huizinga, 47
2.2.1.1 Futebol: O sentido popular além do jogo, 54
2.3 COPA DO MUNDO: PARA ALÉM DO ESPORTE, 62
2.3.1 Copa do Mundo de 2014, no Brasil: Os números, 66
2.3.2 Política social na Copa: Uma abordagem funcionalista, 71
2.3.2.1 Funcionalismo: Uma matriz de pensamento social, 72
2.3.2.2 O imaginário na ótica funcionalista: O sistema cultural de ação na Copa 2014, 75
2.3.2.3 A exploração do imaginário: O metassistema econômico voltado ao lucro, 78

3 ACIONAMENTO TEÓRICO DA FOLKCOMUNICAÇÃO, 81
3.1 PRÁTICAS DE FOLKCOMUNICAÇÃO, 87
3.1.1 O popular em cena, 88
3.1.2 O popular no massivo, 89
3.1.3 O popular em Zero Hora, 92
3.2 A FOLKMÍDIA PELO CONTEXTO DA ECONOMIA POLÍTICA CRÍTICA, 96
3.2.1 Economia política da cultura: O futebol na lógica da indústria, 97
3.2.2 Economia política da (folk)comunicação: A Lei Geral da Copa, 99
3.2.3 Folkmídia: O fator econômico e o político no jornalismo, 103

4 PROPOSIÇÕES TEÓRICAS SOBRE O CAMPO JORNALÍSTICO, 108
4.1 FUNDAMENTOS DO JORNALISMO EM OTTO GROTH, 108
4.2 O FOLKJORNALISMO COMO PRÁTICA PROFISSIONAL, 112
4.2.1 Jornalismo convencional na imprensa, 113
4.2.2 Imprensa de referência: A lente sistêmica, 115
4.2.3 Imprensa popular: A informação pelo “caso do dia”, 118
4.2.4 O folkjornalismo na comunicação de massa, 120
4.3 NOTÍCIA: A INFORMAÇÃO MERCANTILIZADA, 123
4.3.1 Uma produção flexível, 123
4.3.2 Produto jornalístico de mercado, 126
4.3.3 Notícia e espetáculo, 130
4.4 REPORTAGEM: PRODUÇÃO EM PROFUNDIDADE, 132
4.5 CRÔNICA: FORMATO HÍBRIDO NO JORNALISMO ESPORTIVO, 137
4.5.1 Das definições às incertezas, 139
4.5.2 A ambivalência textual, 143
4.6 JORNALISMO ESPORTIVO: A SUBJETIVIDADE EM JOGO, 146

5 METODOLOGIA, 156
5.1 A ANÁLISE DE CONTEÚDO, 157
5.2 OS PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS NA PESQUISA, 161
5.3 OBJETO DE ESTUDO: O JORNAL DA COPA, 165
5.3.1 Zero Hora: Perfil, 173

6 ANÁLISE: A COPA DO MUNDO DE 2014 POR ZERO HORA, 174
6.1 JOGOS: ISENÇÃO, SÓ SE FOR DO ÁRBITRO, 175
6.2 GENTE: COPA DE TODO MUNDO, 192
6.3 PORTO ALEGRE: NA “DISNEYLÂNDIA” DO FUTEBOL, 209
6.4 PROTAGONISTAS: ENTRE MITOS DO ESPORTE, 225
6.5 SELEÇÃO BRASILEIRA: ZERO HORA NA TORCIDA, 243
6.6 POLÍCIA: O MUNDIAL EM CHEQUE, 259

7 CONCLUSÃO, 264

REFERÊNCIAS, 273

Referência

MARTINS, Marcel Neves. Folkcomunicação na imprensa de referência: Um sentido popular da copa do mundo de 2014 no Jornal Zero Hora. 2017. 289 f. Tese (Doutorado em Comunicação Social) - Faculdade de Comunicação Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.
Cadastre-se para receber novidades