Biblioteca

Seja um dos 9 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Dissertação

Futebol de fábrica em São Paulo

Ano

1992

Faculdade/Universidade

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo

Tema

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Sociologia

Páginas

190

Arquivos

Resumo

O estudo trata do surgimento e da organização do futebol de fábrica em São Paulo, que reunia colegas de trabalho em clubes vinculados as empresas cujos nomes adotavam. Esses clubes, criados por iniciativas dos operários com o objetivo de proporcionar a prática desportiva enquanto passatempo, foram, aos poucos, se tornando alvo de outros interesses: os empresários descobriram o potencial do futebol de fábrica. Ele permitia a manutenção de certo grau de controle e de disciplina sobre o tempo livre dos trabalhadores. Mas, acima de tudo, o clube passou a funcionar como vitrine da empresa. No entanto, para alcançar bons resultados. Com base nessas proposições procurou-se estudar a organização e os desdobramentos da prática esportiva em clubes de futebol criados por trabalhadores de grandes empresas bastante representativas do processo de industrialização do Estado de São Paulo, dedicadas a diferentes ramos industriais e tipos de serviços: a The São Paulo Tiamway, Light & Power Co., hoje Eletropaulo – Eletricidade de São Paulo S/A, as indústrias reunidas Francisco Matarazzo e as indústrias Votorantim.

Sumário

Introdução, 7

Capítulo I – O futebol conquista São Paulo e a classe operária, 12

I.1 Primórdios do futebol em São Paulo: um esporte reservado às elites, 13

I.2 A Várzea
I.2.1 Uma via de democratização do futebol, 22
I.2.2 Da várzea ao profissionalismo, 24

I.3 A Fábrica
I.3.1 Outra via de democratização do futebol, 30
I.3.2 Os empresários e o futebol de fábrica: os limites da democratização, 38
I.3.3 Tendências do movimento operário e o futebol, 42
I.3.4 Da fábrica ao profissionalismo, 50

Capítulo II – Clubes de futebol na Light & Power
II.1 Breve histórico, 57
II.2 Sociedade Esportiva Linhas e Cabos, 61
II.3 Associação Atlética Light & Power
II.3.1 Histórico e organização, 69
II.3.2 AAL&P: clube de fábrica ou clube de elite?, 75
II.3.3 A AAL&P e o futebol: amadorismo versus profissionalismo, 81
II.4 Sociedade Esportiva e Cultural dos Empregados da Light, 87
II.5 Light: apoio restrito aos clubes de funcionários, 91

Capítulo III – Associação Atlética Matarazzo
III.1 Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo: histórico, 95
III.2 Associação Atlética Matarazzo: organização e
Disciplina, 100
III.3 Futebol: profissionalismo e conflitos, 110

Capítulo IV – Associação Amália de Desportos Atléticos
IV.1 Histórico, organização e disciplina, 132
IV.2 Futebol e conflitos, 149
IV.3 Associação Amália: a opção pelo profissionalismo, 156

Capítulo V – Savóia Team e Clube Atlético Votorantim
V.1 Votorantim: a fábrica e o clube, 172
V.2 Do amadorismo ao profissionalismo, 179

Considerações finais, 183

Referências bibliográficas, 187

Referência

ANTUNES, Fatima Martin Rodrigues Ferreira. Futebol de fábrica em São Paulo. 1992. 190 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.
Cadastre-se para receber novidades