Biblioteca

Seja um dos 27 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Dissertação

Futebol e violência em campo

análise das interdependências entre árbitros, regras e instituições esportivas
Ano

2008

Faculdade/Universidade

Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Paraná

Tema

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Educação Física

Páginas

192

Arquivos

Resumo

O presente trabalho analisa sociologicamente a violência expressa através do futebol a partir da visão e interpretação dos árbitros. Estes, apesar de serem elementos fundamentais para a realização de uma partida, estão distantes dos estudos acadêmicos. Para a efetivação desta dissertação foi realizada uma revisão de literatura buscando sistematizar estudos acerca da história e desenvolvimento do futebol, das formas de controle das violências no seu interior e o processo de surgimento dos árbitros e suas demandas no futebol. A análise documental baseia-se nas regras oficiais da modalidade e suas modificações e manuais e circulares fornecidas aos árbitros pelas principais instituições futebolísticas. O referencial teórico de análise escolhido foi a Sociologia Figuracional de Norbert Elias. A coleta de dados foi realizada através de entrevista semi-estruturada com seis árbitros paranaenses que integram o quadro da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A partir dos depoimentos coletados buscamos investigar as interdependências estabelecidas pelos árbitros no que tange o desempenho de sua função e controle da violência. O processo de esportivização do futebol, partindo dos jogos populares e aristocratas ingleses até o esporte moderno, trouxe diversas mudanças estruturais. Estas novas demandas esportivas trouxeram a necessidade da presença de elementos e instâncias neutras e mediadoras, como os árbitros. Constatamos que a violência é algo habitual a esses agentes e que as possibilidades de prevenção e controle da violência passam por outras instituições como a mídia e os tribunais esportivos. O caráter flexível e interpretativo das regras em sua aplicação gera discórdias a respeito da temática, sendo, em nossa opinião, um dos pontos responsáveis pelo fascínio provocado pelo futebol.
Palavras-chave: futebol; violência; árbitros de futebol; sociologia figuracional; história do futebol.

Abstract

This dissertation examines sociologically the violence expressed through football from referees’ vision and interpretation. Although they are crucial to the achievement of a match, referees are far from academic studies. For the effectiveness of this study was conducted a literature review searching for systematic studies of the history and development of football, ways of controlling the violence inside and the process of emergence of referees and their demands in football. The documental analysis is based on the official rules of the sport and its modifications and manuals and circulars provided to referees by the football institutions. The Figurational Sociology of Norbert Elias was chosen as theoretical reference. Data collection was carried out using a semi-structured with six referees who comprise the framework of the Brazilian Football Confederation (CBF). From the evidence collected it was investigate the interdependences shown by the referees in terms of performance in their function and violence control. The constitution process of football brought several structural changes, since the popular games in English aristocrats to the modern sport. These new sports demands brought the need for the presence of elements and neutral instances and mediators, as the referees. We notice that violence is something applicant to such agents and possibilities of prevention and violence control are other institutions needs, such as the media and the courts sports. The flexible and interpretative nature of the rules for its implementation creates discordation about this theme and, in our opinion, one of the responsible for the football fascination.
Key-words: football; violence; football referees; figurational sociology; football history.

Sumário

INTRODUÇÃO, 14
1. O processo civilizador e o esporte,  26
1.1 A sociologia configuracional de Norbert Elias, 27
1.2 A violência como um modo de civilidade, 34
1.3 O futebol na perspectiva figuracional, 46
2. O futebol e suas regras: uma história controversa, 58
2.1 Os jogos que precederam o futebol moderno: football na Idade Média, 61
2.2 O processo de esportivização, 66
2.3 Uma história das ‘leis do jogo’, 74
2.4 As regras e o surgimento das instituições, 81
2.5 Os árbitros nas regras do jogo: o ‘apito inicial’, 95
3. Quem são e onde estão os “homens de preto”?, 107
3.1 Os árbitros e as instituições, 107
3.2 Da escala à súmula: notas sobre a atuação do árbitro dentro e fora do campo, 130
3.2.1 Antes, 131
3.2.2 Durante, 137
3.2.3 Depois, 147
3.3 Os árbitros, a violência e o futebol, 152
4. Considerações finais: o “apito final”, 178
Referências, 184
Anexos, 189

Futebol e violência em campo – Por Bruno Boschilia

Referência

BOSCHILIA, Bruno. Futebol e violência em campo: análise das interdependências entre árbitros, regras e instituições esportivas. 2008. 192 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.
Cadastre-se para receber novidades