Biblioteca

Seja um dos 9 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Dissertação

Futsal feminino e educação

o que a experiência ensina?
Ano

2013

Faculdade/Universidade

Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista

Orientador(a)

Mauro Betti

Tema

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em educação

Páginas

165

Arquivos

Resumo

Esta dissertação está vinculada à linha de pesquisa “Práticas e Processos Formativos em Educação”, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Presidente Prudente – SP. Amparada em John Dewey e Larossa-Bondía, parte do entendimento de que a vida é um processo de aprendizagem, no qual os seres humanos estão constantemente sofrendo e fazendo experiências. Cada experiência, particular a cada sujeito, traz em si a capacidade de formação ou de transformação. Quando a experiência é reflexiva, isto é, quando o indivíduo atenta ao "antes" e ao "depois" do processo, percebendo relações e continuidades e adquirindo conhecimentos, ocorre uma experiência educativa. Experiências educativas podem ocorrer nas mais diversas esferas da vida, dentre elas, na prática esportiva. No Brasil, o futebol é o esporte que ocupa maior destaque e constitui um fenômeno sociocultural por meio do qual é possível compreender melhor a própria sociedade. Porém, homens têm mais acesso e oportunidades frente ao futebol do que as mulheres, o que acaba por legitimá-lo como um universo masculino. Já sobre as mulheres que se aventuram no universo futebolístico incidem preconceitos relacionados às suas feminilidades e sexualidades. Este trabalho objetivou descrever e analisar as experiências educativas de praticantes de futsal feminino, a saber, o futebol jogado em quadra. Para tal, realizou-se um estudo etnográfico, cujos dados foram gerados por meio de observação participante e entrevistas semi-estruturadas com atletas de futsal de uma equipe universitária do interior do estado de São Paulo. Os resultados evidenciaram três categorias principais, permeando as experiências educativas no futsal: "rendimento e prazer", "preconceito" e "tabu". No ambiente investigado estão presentes, concomitantemente, tanto a busca pelo rendimento esportivo, quanto a busca pelo prazer de jogar, o que fez com que atitudes de respeito ao próximo e aceitação das diferenças aparecessem de forma contraditória sobretudo quando a pressão por rendimento fez-se latente. Várias das atletas sofreram uma série de preconceitos ao longo de suas trajetórias no futsal, associados às suas identidades de gênero e sexual. O tema da sexualidade evidenciou-se como um tabu, e os discursos remeteram a uma imagem heterossexual, ainda que haja várias atletas homossexuais no grupo. O grupo demonstrou entendimento de que os preconceitos que incidem sobre o futebol e o futsal feminino são construções sociais, que não podem ser vistos como fatos naturais, justificados por argumentos amparados na biologia. Se, por um lado, as atletas ainda não se libertaram de medos e preconceitos, e tentam se encaixar em padrões de gênero e sexualidade aceitos pela sociedade, por outro, ao praticarem futsal enfrentam, inevitavelmente, os preconceitos. Com isso evidenciam que esse é um território que pode e deve ser ocupado por mulheres. A prática do futsal, para além das questões de gênero e sexualidade, assume tal importância na vida dessas atletas, que as experiências educativas nela vivenciadas constituem parte de suas subjetividades, de suas identidades.

Palavras-chave: Experiência Educativa. Futsal Feminino. Educação. Gênero. Sexualidade.

Abstract

This work is linked to "Practices and Formative Processes in Education" research line, from Education Postgraduate Program of Sciences and Technology Faculty, at Universidade Estadual Paulista (UNESP), Presidente Prudente Campus, Sao Paulo state, Brazil. Supported by John Dewey and Larossa-Bondia contributions, this study works with the understanding that life is a learning process in which humans constantly suffer and make experiences. Each experience, particular to each person, is something that brings within formative or transformation skills. Every time an experience is reflexive and drives the individual attempt to which comes before and after this process, identifying relations, continuities and acquiring knowledge, it is an educative experience. Educative experiences can happen in many life spheres, including sportive practice. In Brazil soccer is the most proeminent sport in population social lives. Its presence in Brazilians everyday is so striking and undeniable that soccer is a sociocultural phenomenon through which it is possible to understand better the society itself. However, men have more access and opportunities on soccer than women: boys, since they are pretty small, soon get a ball to play and learn how to kick, which ultimately legitimize soccer as a male universe. For women who decide to venture into soccer´s world it uses to incur an amount of doubts and prejudices related to their femininities and sexualities. This study aimed to describe and analyze educative experiences of practitioners of a specific form of soccer, female futsal, namely soccer played indoor. To this purpose, it was carried out an ethnographic study, collecting data through participant observation and semi-structured interwiews with athletes from a female futsal college team from a city called in Sao Paulo state. The results showed three main categories permeating educative experiences in futsal: “pleasure and performance”, “prejudice” and “taboo”. On the investigated environment, both the pursuit of sporting performance as pleasure for playing are present, which means that attitudes like respect for others and diversity acceptance appeared in some situations, but were contradicted in others, especially when pressure for performance became stronger. Several athletes suffered series of prejudices along their trajectories in futsal, associated with their gender and sexual identities. For this reason, the team they current play made sexuality a taboo, looking forward to associating itself to a straight image, although there are several gay women in the group. The group has demonstrated to understand that prejudices among soccer and futsal are social constructs which cannot be seen as natural facts, justified by arguments supported in Biology. If, on one hand, athletes have not freed themselves of fears and prejudices, and try to fit into patterns of gender and sexuality accepted by society, on the other, practicing futsal, they inevitably face prejudices. They show, every day, that this is an area that can and must be held by women. Futsal practice, beyond gender and sexuality issues, is a matter of great concern on athletes’ lives. The educative experiences lived on the modality constitute part of their subjectivity, their identities.

Keywords: Educative Experience. Female Futsal. Education. Gender. Sexuality.

Sumário

1 DEMARCANDO A QUADRA: A PROBLEMÁTICA DA INVESTIGAÇÃO, 13
1.1 Experiência educativa, 17
1.2 Esporte e educação, 24
1.2.1 Esporte Espetáculo x Esporte Lazer, 28
1.3 Objetivo e questões norteadoras, 34

2 MENINAS EM QUADRA: GÊNERO, MULHERES E ESPORTE, 34
2.1 Mulheres e esporte: um panorama, 39
2.2 Futebol/futsal feminino, 50

3 AS REGRAS DO JOGO: DELINEAMENTO METODOLÓGICO, 66
3.1 Etnografia, 68
3.2 Estratégias de coleta de dados, 74
3.3 O trabalho de campo, 78

4 E ROLA A BOLA: RESULTADOS, 82
4.1 Aspectos gerais da equipe, 83
4.2 Rendimento e prazer, 97
4.2.1 Cobranças e diversão, 107
4.3 Preconceito, 118
4.4 Tabu, 134
4.5 O que as atletas aprenderam?, 143

5 PLACAR FINAL: CONCLUSÃO, 151

REFERÊNCIAS, 156
ANEXOS, 164

Referência

JARDIM, Juliana Gomes. Futsal feminino e educação: o que a experiência ensina?. 2013. 165 f. Dissertação (Mestrado em educação) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2013.
Cadastre-se para receber novidades