Biblioteca

Seja um dos 14 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
ISSN 2526-4494
Dossiê Futebol e política: transculturação e transformação no mundo da língua portuguesa

Mais branco do que preto na ditadura militar brasileira: a Democracia Corinthiana, o sindicalismo, a rebeldia e o rock and roll

Periódico / Revista

FuLiA / UFMG

Número

n. 3

Ano

2019

Volume

v. 4

Tema

Dossiê Futebol e política: transculturação e transformação no mundo da língua portuguesa

Páginas

p. 42-65

Arquivos

Resumo

Este estudo discutirá o documentário Democracia em preto e branco (2014), de Pedro Asbeg, e suas relações entre política, futebol e música. O documentário, comemorativo dos 30 anos do fim do movimento Democracia Corinthiana (1982-1984), é uma especial homenagem ao Dr. Sócrates, a figura mais emblemática do movimento político-esportivo, falecido em 2011. O filme traça seu argumento na esperança de compreender como o movimento Democracia Corinthiana sai dos campos de futebol e se transforma na ponte política para engrossar a massa de protestos a favor da democracia e pelas eleições diretas para presidente da república no Brasil. Entre as contribuições do filme para o debate entre política e futebol temos o destaque para o lateral esquerdo Wladimir, que seria, na ocasião, o principal fomentador de um projeto sindical entre os jogadores de futebol, que entretanto ficou legado a condição de coadjuvante de Sócrates e Casagrande. O primeiro marcado como mártir do movimento e o segundo pela associação de sua imagem às noções de rebeldia rock ‘n’ roll, representante da geração 1980. Nossa reflexão, busca discutir as estratégias de resistência e autoritarismo para que o movimento, tanto da democracia quanto das diretas, se tornasse mais branco do que preto. Colaboram para esse estudo reflexões de Norberto Bobbio, Walter Benjamin, Theodor Adorno, Alfredo Bosi e Elcio Cornelsen.

PALAVRAS-CHAVE: Cinema; Democracia Corinthiana; Diretas Já; Futebol; Música.

Abstract

This study discusses the documentary Democracia em preto e branco (2014) by Pedro Asbeg and its relationship between politics, football and music. The documentary commemorates the 30th anniversary of the end of the Corinthian Democracy movement (1982- 1984) and is a special tribute to doctor Sócrates, the most symbolic figure of the political-sportive movement, who died in 2011. The film sets out its argument hoping to understand how the Corinthian Democracy movement leaves the football fields and becomes the political bridge to thicken the mass of protests in favor of democracy and the direct elections for president of the republic in Brazil. Among the contributions of films to the debate on politics and football, we highlight the left-back Wladimir,who would be the main promotor of a trade union policy among football players, who was relegated to a supporting role for Sócrates and Casagrande in the movement. The first marked as martyr to the movement and the second by the association of his image with notions of rebellion and rock ‘n’ roll, as a representative of the generation the 80’s. Our reflection seeks to discuss how strategies of resistance and authoritarianism made the democratic and direct vote movement turn whiter than black. Inspiration for this study comes from Norberto Bobbio, Walter Benjamin, Theodor Adorno, Alfredo Bosi and Elcio Cornelsen.

KEYWORDS: Cinema; Corinthian Democracy; Diretas Já; Football; Music

Referência

PANTOJA, Augusto Sarmento. Mais branco do que preto na ditadura militar brasileira: a Democracia Corinthiana, o sindicalismo, a rebeldia e o rock and roll. FuLiA / UFMG. Belo Horizonte, v. 4, n. 3, p. 42-65, 2019.