Pânicos de gênero, tecnologias de corpo: feminilidade no esporte

Biblioteca

Seja um dos 25 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
ISSN 1806-9584
Seção temática Gênero, tecnologias e (novas) formas de subjetivação nas práticas esportivas

Pânicos de gênero, tecnologias de corpo: regulações da feminilidade no esporte

Periódico / Revista

Revista Estudos Feministas

Número

n. 2

Volume

v. 29

Tema

Seção temática Gênero, tecnologias e (novas) formas de subjetivação nas práticas esportivas

Páginas

p. 1-14

Arquivos

Resumo

Este artigo apresenta uma revisão documental e bibliográfica de parte do histórico de gestão da feminilidade no esporte de alto rendimento. Nesse sentido, é preciso acompanhar como nasce o movimento olímpico. Uma recapitulação necessária para saber de onde vem e como se estrutura a necessidade de controle dos corpos atléticos das mulheres. Com a defesa de certos valores pautados no dimorfismo sexual, entenderemos como a ciência e a medicina auxiliaram na estabilização de fronteiras biológicas, sociais e esportivas. Contudo, à medida que esse conhecimento se transforma, todo um emaranhado regulatório também é atualizado em torno da elegibilidade das mulheres no esporte. A condução do artigo aposta na interpretação de que a proteção da categoria feminina no esporte se fez tanto por meio da suspeição quanto pela justiça, com a linguagem dos direitos sendo cada vez mais incorporada.

Palavras-chave: regulação esportiva; sexo/gênero; feminilidade

Resumo (outro idioma)

Este artículo presenta una revisión documental y bibliográfica de parte de la historia de la gestión de la feminidad en los deportes de alto rendimiento. En este sentido, es necesario monitorear cómo nace el movimiento olímpico. Una recapitulación necesaria para saber de dónde viene y cómo se estructura la necesidad de controlar los cuerpos atléticos de las mujeres. Con la defensa de ciertos valores basados en el dimorfismo sexual, entenderemos cómo la ciencia y la medicina ayudaron a estabilizar los límites biológicos, sociales y deportivos. Pero a medida que este conocimiento cambie, todo un enredo regulatorio también se actualiza en torno a la elegibilidad de las mujeres en el deporte. La conducción del artículo apuesta por la interpretación de que la protección de la categoría femenina en el deporte se hizo tanto por la sospecha como por la justicia, incorporándose cada vez más el lenguaje de los derechos.

Palabras clave: regulación deportiva; sexo/género; feminidad

Abstract

This article presents a documentary and bibliographic review of part of the history of femininity management in high-performance sport. In this sense, it is necessary to follow up how the Olympic movement is born. A necessary recap to know where it comes from and how the need to control women’s athletic bodies is structured. With the defense of certain values based on sexual dimorphism, we will understand how science and medicine helped to stabilize biological, social and sports boundaries. But as this knowledge changes, an entire regulatory meshwork is also updated around the eligibility of women in sport. The conduct of the article bets on the interpretation that the protection of the female category in sport was done both through suspicion and by justice, with the language of human rights being increasingly incorporated.

Keywords: Sports Regulation; Sex/Gender; Femininity

Cadastre-se para receber novidades