Biblioteca

Seja um dos 21 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Dissertação

Pressupostos teóricos com vistas à tematização do futebol brasileiro pela Educação Física escolar a partir da teoria educacional libertadora

tematização do futebol brasileiro pela Educação Física
Ano

1996

Faculdade/Universidade

Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina

Orientador(a)

Elenor Kunz

Tema

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Educação Fisica

Páginas

229

Arquivos

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo desenvolver uma reflexão sobre alguns pressupostos teóricos a fim de possibilitar a tematização do futebol brasileiro enquanto um dos conteúdos pedagógicos da Educação Física Escolar. Para tanto, divido este trabalho em quatro capítulos. No primeiro, busco um entendimento para o conceito de cultura recorrendo a uma análise histórica do mesmo ao longo do processo civilizatório chegando, por fim, aos conceitos de cultura enquanto hegemonia propostos por Gramsci, além de também destacar a polêmica que se estabelece entre cultura de massa e cultura popular. Sob esta mesma forma de análise conceituo, no segundo capítulo, a Educação e a Escola modernas, apontando ao final deste capítulo, para a perspectiva de uma escola pública, popular e democrática. No capítulo terceiro, na busca de possibilidades para a elaboração de um projeto de escola que seja pública, popular e democrática, reviso alguns conceitos da Teoria Educacional de Paulo Freire. E, finalmente, no último capítulo faço uma abordagem histórica do esporte e do futebol nas sociedades modernas, para então resgatar a história sócio-cultural do futebol brasileiro bem como seu significado no “mundo da vida” dos brasileiros. Por fim, indico algumas possibilidades de apropriá-lo de forma emancipatóra na Educação Física Escolar, enquanto elemento da cultura nacional popular brasileira de movimento.

Abstract

The present paper has as its objective to develop considerations about some theoretical postulations in order to enable the thematization of Brazilian soccer as one of the pedagogic components of educational physical education. For that end, I have divided this paper into four chapters. In the first, I try to achieve an understanding of the concept of culture through its historical analysis along the process of civilization arriving, finally, at the concepts of culture as hegemony proposed by Gramsci, pointing out as well to the controversy created between mass culture and popular culture. Under this same type of analysis, in the second chapter I conceptualize modern Education and School, pointing, at the end of this chapter, to the perspective of a public school, popular and democratic. In the third chapter, in the search of possibilities for the elaboration of a project for a public, popular and democratic school, I review some concepts of Paulo Freire’s Educational Theory. And, finally, in the last chapter I present a historical approach of sport and soccer in modern societies, so as to recover the socio-cultural history of Brazilian soccer as well as its meaning in the “life-world” of Brazilians. At last, I suggest some possibilities of adjusting it into Physical Education at schools in an emancipating way, as an element of the Brazilian national popular culture of movement.

Sumário

APRESENTAÇÃO , 01

CAPÍTULO I, 03
1.1. Introdução: O Conceito de Cultura – Considerações Iniciais, 04
1.2. Cultura enquanto um Conceito a ser Compreendido ao
Longo do Processo Civilizatório, 05
1.3. O Termo Cultura Como Conceito Controvertido, 07
1.4. Cultura e Civilização: da Unidade à Diferença Conceitual, 11
1.5. O Artista Como Crítico da Sociedade,14
1.6. A Teoria Socialista e o Impacto Sobre o Conceito de Cultura, 16
1.6.1. Entendimento de Cultura Como Todo um Modo de Vida:, 18
A Origem da Antropologia Cultural
1.6.2. Marx e a Elaboração do Conceito de Cultura Como Práxis, 23
1.7. Conceitos Básicos para uma Leitura das Relações de Cultura
enquanto Práxis Hegemônica em Gramsci, 26
1.7.1. Cultura como Práxis em Gramsci, 28
1.8. Cultura Formal e não Formal: a produção Cultural Moderna
na Contemporaneidade, 30
1.8.1. O Debate em torno da Cultura de Massa e Cultura Popular:
a busca da Origem, 31
1.9. Uma tentativa de Síntese para o Conceito de Cultura nas
Sociedades Ocidentais Capitalistas Avançadas a
Partir do até Aqui Exposto, 37

CAPÍTULO II, 42
EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E ESCOLA: A CULTURA COMO CATEGORIA CENTRAL
2.1. Introdução, 43
2.2. A lógica Imanente à Educação Moderna e da Escola,48
2.3. Contextualização Histórica da Escola, 51
2.3.1. O Surgimento da Escola Pública, 52
2.3.2. A Revolução Francesa e a Escola, 55
2.3.3. A Revolução Industrial e a Escola, 56
2.3.4. A Escola frente à Atualidade, 60
2.3.4.1. A Alegria como Projeto para a Nova Qualidade
da Escola Pública e Popular, 63
2.3.4.2. Um Entendimento da Cultura Popular de Massa
para a Nova Qualidade da Escola Pública e Popular, 65
2.3.4.3. Um Projeto de Escola Pública e Popular não
Autoritário, porém com Autonomia e que Leve
à Construção de um Projeto de Humanização para todos, 67
2.3.4.4. A Cidadania como Nova Qualidade da
Escola Pública Popular e Democrática, 69
2.3.4.5. A Diversidade Sócio-Cultural e a Educação para Todos como Exigência para/da Escola Pública
Popular e Democrática, 71

CAPÍTULO III, 78
PAULO FREIRE: A CULTURA COMO PRÁXIS PARA A EMANCIPAÇÃO POPULAR
3.1. Introdução, 79
3.2. Freire e o Contexto Histórico-Cultural do Nordeste Brasileiro:
a Origem das Temáticas para suas Elaborações
Teórico-Educacionais,80
3.2.1. A História Sócio-Cultural do Nordeste e a Origem da
Dependência em seu Povo: um pouco desta História, 81
3.2.2.O Nordeste e os Movimentos de Cultura Popular:
Contribuição de Freire a Eles e Deles ao Pensamento de Freire, 86
3.2.2.1. O Catolicismo no Brasil: sua Influência sobre os
Movimentos de Cultura Popular e a Teoria de Freire, 88
3.3. Pressupostos da Teoria ou Filosofia da Educação em Freire:
A Dialética da Formação Oprimido e Opressor no Processo
de Humanização dos Homens, 94
3.3.1. O Medo como Obstáculo à Liberdade, 94
3.3.2. A Humanização e a Desumanização surgem como
Temas na Obra de Freire, 97
3.3.3. Analisando a Realidade Escolar, Paulo Freire Descreve a
Concepção Bancária de Educação,101
3.3.4. Da Realidade Educacional “bancária” ao Surgimento da
Educação Problematizadora, 103
3.3.5. O Diálogo como Fundamento da Práxis, 105
3.3.6. A Metodologia Proposta por Freire para a Educação
Libertadora, 108
3.3.6.1.A metodologia para a identificação do universo temático
ou tema gerador da educação libertadora, 109
3.3.6.2. O homem enquanto ser histórico, 111
3.3.6.3. As “situações limites” encontradas nos temas geradores
e que devem ser superadas na busca do “inédito viável”, 113
3.3.6.4. A investigação das temáticas significativas ou percepção
dos temas sobre os homens, 114
3.3.6.5. A codificação/descodificação, 116
3.3.6.6. A pesquisa dos conteúdos ou elaboração do programa
da educação libertadora, 116
3.3.6.7. Metodologia de elaboração das temáticas significativas
que se tornarão o conteúdo a ser codificado, 118
3.3.6.7.1. Primeira etapa da investigação temática, 118
3.3.6.7.2. A segunda etapa da investigação temática, 121
3.3.6.7.3. A terceira etapa da investigação temática, 123
3.3.6.7.4. A quarta etapa da investigação temática, 123
3.4. Em Busca de uma Síntese, 126

CAPÍTULO IV, 129
UMA POSSÍVEL LEITURA SÓCIO-CULTURAL DO ESPORTE E DO FUTEBOL MODERNO E DE SUA MANIFESTAÇÃO NO BRASIL
4.1. Introdução, 130
4.2. Buscando as Origens Históricas da Práticas Esportivas Modernas . 131
4.2.1. O Paradoxo do Esporte nas Sociedades Modernas:
Integração Através do Conflito ou o Ódio Fraterno,135
4.2.2 O Papel do Esporte na Sociedade, 138
4.3. A Origem da Futebol Moderno: as Escolas Públicas Inglesas,141
4.3.1. O Futebol Representa a Ação de uma Caçada Ritualizada, 144
4.3.2. O Futebol como Potencial de Mobilização das Comunidades
Locais, 145
4.3.3. O Futebol como União das Sociedades Nacionais , 146
4.4. A História Sócio-Política-Cultural do Futebol Brasileiro , 147
4.4.1. O Processo de Importação do Futebol para o Brasil:
o Futebol Jogado pelas Elites, 147
4.4.2. O Futebol Brasileiro : sua Ascensão às Massas, 153
4.4.2.1. A profissionalização do Futebol como Ampliação de
Possibilidades do Futebol ser Jogado pelas Massas: a
Revolução do Jogo,157
4.4.3. Segundo Tempo: Mulatos, Brancos, Pobres e Negros entram
em Campo, 160
4.4.3.1. O Surgimento das Metrópoles e a Disseminação do Futebol
entre a Massa, 163
4.4.4. O Período de Transição do Futebol Brasileiro, 169
4.4.4.1. A Transição: Época do Surgimento da Figura do Craque de
Futebol como um ícone de Identificação para as Massas
das Metrópoles em Formação 172
4.4.5. O Apogeu do Futebol Brasileiro (1940-1960), 174
4.4.6. Aculturação do Jeito Brasileiro de Jogar Futebol ou a Nova
Elitização do Jogo?, 179
4.4.6.1. O Fim do Populismo e o Início da Decadência da Forma
de Jogar o Futebol Brasileiro 180
4.4.7. O Futebol: sua Caracterização entre os Brasileiros enquanto
“Mundo da Vida” e “Mundo Sistêmico”, 186
4. 4.7.1. Um País Dividido,  198
4.4.7.2. A Expressão da Alegria como Marca do Futebol do
“Mundo da Vida” dos Brasileiros,  200
4.4.7.3. O País do Futebol onde a Bola Expressa a Arte de Brincar,  202
4.4.8. O Futebol Força: a História da Aculturação ou Descaracterização
Cultural da Forma de Jogar Futebol no Brasil ,207
4.4.8.1. As Copas do Mundo como Marcos Determinantes das
Transformações na Forma de Jogar do Futebol Brasileiro,  210
4.5. Palavras Não Conclusivas, 217
4.5.1 Os Paradigmas da “Força” e da “Arte” e as Mudanças no
Futebol Brasileiro,  217

Bibliografia, 225

Referência

CAPELA, Paulo Ricardo do Canto. Pressupostos teóricos com vistas à tematização do futebol brasileiro pela Educação Física escolar a partir da teoria educacional libertadora: tematização do futebol brasileiro pela Educação Física. 1996. 229 f. Dissertação (Mestrado em Educação Fisica) - Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.
Cadastre-se para receber novidades