Biblioteca

Seja um dos 10 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
ISSN 2525-3263

Profanação como tática de resistência ao biopoder

Periódico / Revista

Indisciplinar

Número

n. 1

Ano

2015

Volume

v. 1

Páginas

p. 81-93

Arquivos

Resumo

No intervalo de um ano compreendido entre julho de 2013 e 2014, inúmeros protestos eclodiram em todo o território nacional devido à realização do mundial da FIFA no Brasil. Além de ocuparem as ruas, manifestantes encontraram também outras formas de desobedecer o status quo. É sobre uma dessas táticas de subversão da ordem que o presente artigo se debruça: uma artista plástica carioca “hackeou” o cromos da Coleção Oficial de Figurinhas Copa do Mundo da FIFA 2014 e pintou, nos rostos dos jogadores das seleções de futebol, as máscaras pretas utilizadas pelos adeptos do método black bloc. Após a intervenção, ela selava os pacotes de figurinhas corrompidas e os deixava nos locais de venda novamente. Considerando os conceitos de biopoder e biopotência nos filósofos Michel Foucault e Peter Pál Pelbart, abordamos, à luz dos pesquisadores Giorgio Agamben e Michel de Certeau, as táticas de profanação dos dispositivos do poder — no caso estudado, representado pelo Estado e pela FIFA. O artigo ressalta a proximidade entre esses conceitos, buscando entender como a “estratégia” em Certeau e o “dispositivo” em Agamben têm nas definições de tática e profanação ações que não são opostas, mas interdependentes. Como métodos utilizados na produção do artigo recorremos à pesquisa documental e à revisão bibliográfica.

PALAVRAS-CHAVE: Biopoder. Biopotência. Bispositivo. Tática. Profanação. Copa do Mundo FIFA 2014

Abstract

In the course of one year, between July 2013 and 2014, numerous protests erupted across the country due to the realization of FIFA World Cup in Brazil. Besides occupying the streets, demonstrators also found other ways to disobey the status quo. It is on one of these subversion tactics of order that this article focuses: a Rio performance artist “hacked” the Official pictures of the FIFA World Cup 2014 Collection chromes and painted, on the faces of the football team players, the black mask used by supporters of the black bloc method. After the intervention, she sealed the packets of corrupted pictures and left them for sales again. Considering the concepts biopower and biopolitics in philosophers Michel Foucault and Peter Pál Pelbart, we investigate, with the support of Giorgio Agamben and Michel de Certeau, possible profanation tactics in face of power dispositives — in this case, represented by the State and FIFA. The paper emphasizes the proximity between these two concepts in order to understand how “strategy” in Certeau’s thought and “dispositive” in Agamben’s find, in the definition of tactics and profanation, actions that are not opposed, but interdependent. As methods, we resort to documental research e bibliographical revision.

KEYWORDS:Biopower. Biopotency. Dispositive. Tactic. Profanation. 2014 FIFA World Cup.

Referência

OLIVEIRA, Bruna Luyza Forte Lima; SILVA, Graziele Barros da. Profanação como tática de resistência ao biopoder. Indisciplinar. Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 81-93, 2015.
Cadastre-se para receber novidades