Publicado em Deixe um comentário

Mesa 1: Gênero e Diversidade

4º Simpósio Internacional de Estudos sobre Futebol

A mesa aborda questões diversas sobre as mulheres e as pessoas LGBTQIAP+ dos mais variados futebóis, percorrendo o que isso significou e ainda significa em termos de impedimentos, resistências, lutas e busca por direitos e espaços.

Para abrir o evento, tivemos a mesa Gênero e Diversidade, que falou sobre a atuação, o espaço e a resistência de mulheres e pessoas LGBTQIAP+ dentro do futebol. Contamos com a presença de Bernardo Gonzales, Roberta Nina Cardoso, Brenda Elsey e Dilma Mendes, e mediação de Silvana Goellner.

🔸Brenda Elsey, historiadora e especialista em política, gênero e cultura popular no século XX, e Dilma Mendes, ex-jogadora e atual treinadora de seleção brasileira de futebol 7, destacaram o período de proibição do futebol feminino no Brasil e como as mulheres resistiram. 

🔸 Já Bernando Gonzales, atleta amador transmasculino, pontuou que o futebol trans ainda vive um período de “proibição” e invisibilidade, enquanto Roberta Nina, uma das fundadoras das Dibradoras, ressaltou o crescimento do número de mulheres na mídia esportiva, ainda que em pequena escala quando comparado ao número de profissionais homens. 

🔸Vale destacar que o Futebol de Mulheres foi o tema com maior número de submissões de trabalhos para apresentação nos GTs do Simpósio.

Palestrantes:

Bernardo Gonzales – Homem trans, atuante na causa da diversidade e inclusão. É atleta amador e organizador do S. C. T Mosqueteiros.

Roberta Nina (Dibradoras) – Canal de mídia e produtora de conteúdo que promove o protagonismo feminino no futebol. Com uma equipe composta por três mulheres, são elas: a publicitária Angélica Souza e as jornalistas Renata Mendonça e Roberta Nina Cardoso.

Silvana Goellner – Professora aposentada da UFRGS, é especialista em história do corpo, história da educação físicas e dos esportes, e em gênero e sexualidade.

Brenda Elsey – Professora da Hofstra University, é historiadora e especialista em política, gênero e cultura popular no século XX, com destaque para futebol na América Latina.

Dilma Mendes – Atleta nos tempos da proibição do futebol de mulheres, construiu longa carreira como treinadora em futebóis para mulheres e para homens. Há anos, comanda a Seleção Brasileira Feminina de Fut7 e é considerada uma das melhores do mundo na modalidade.

Publicado em Deixe um comentário

Rozzeira: a revista da mulher no futebol

Rozzeira

Rozzeira

A paixão pelo futebol motivou a jornalista Jay Oliveira e o publicitário Claudio Campos a fundarem a ROZZEIRA, a primeira revista dedicada à mulher no futebol do Brasil

Com edições trimestrais, a ROZZEIRA abre espaço para que as mulheres possam criar, compartilhar e discutir sobre a presença feminina no futebol. É um convite para que se sintam à vontade para interagir e contar suas histórias. A primeira revista dedicada à mulher no futebol do Brasil surge para valorizar essas personagens e exaltar o esforço diário que elas dedicam por espaço na modalidade. Com relatos no impresso e conteúdos trabalhados no formato 360º nas redes sociais (Instagram, Tiktok, Twitter e Youtube), a primeira edição traz na capa a lenda do futebol mundial, Formiga, a única atleta a ter participado de sete Copas do Mundo, entre homens e mulheres.

Idealizadora da ROZZEIRA desde a faculdade, Jay acredita que esse é o momento certo para o lançamento:

“O futebol feminino vem passando por uma transformação e a proposta é dar, às mulheres envolvidas com futebol, o destaque que as foi negado por anos. Quando teríamos uma revista dedicada a elas no Brasil? Talvez nunca. Por ser um veículo que sempre consumi, pela forma de comunicar e da liberdade de conteúdo, resolvemos tirar esse projeto do papel ou melhor, transformá-lo em papel, literalmente”, brinca Jay, com o fato da revista ser comercializada impressa, além da digital.

Trabalhando há 17 anos com futebol, Claudio Campos é apaixonado pelo esporte desde muito cedo e grande parte dessa paixão se deu por meio da leitura de revistas. “Coleciono revistas de futebol a vida inteira. Elas sempre foram minhas companheiras na infância e na adolescência, nas horas em que não estava jogando futebol”, relata o publicitário.

O projeto terá um conteúdo gráfico e editorial inédito. “Apresentaremos grandes personagens do mundo do futebol feminino de uma forma única, fazendo de cada edição um documento histórico”, afirma Jay. A jornalista espera que a revista seja um espaço de alento, onde meninas e mulheres possam ter estímulo na carreira. “A ROZZEIRA será um ambiente de inspiração e apoio para elas se conhecerem e saberem, desde sempre, que se for da vontade delas, elas podem seguir jogando, torcendo ou comunicando o esporte”, ressalta.

O nome da revista surgiu depois de uma busca por um jargão de futebol feminino, logo um objeto dentro do próprio campo a batizou. “Roseira é a rede do gol, que apesar de um jargão pouco utilizado, se encaixou perfeitamente com a proposta da revista. Os dois “zz” no nome vieram como uma identificação única para a marca”, explica a idealizadora da revista.

Como em todo projeto, existem desafios para publicação, e na ROZZEIRA não foi diferente. Mesmo diante de avanços nos últimos anos, seja dentro ou fora dos campos, as palavras ‘futebol’ e ‘mulher’ no mesmo contexto, além de incomodar, continuam sendo desacreditadas. Reverter esse placar e acreditar no futebol feminino inclusivo define a revista e o conteúdo que ela apresenta, com foco em relatar trajetórias e histórias marcantes das mulheres no futebol.

Site: rozzeira.com
E-mail: [email protected]
Redes Sociais: Instagram / @rozzeira | Twitter / @rozzeira_ | TikTok / @rozzeira

Valores:
Revista Física: R$ 39,90

Durante a pré-venda o frete é grátis.

Publicado em Deixe um comentário

Questões raciais e de gênero

II Jornada ReNEme

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

Programação:

– Júlia Belas Trindade (St. Mary’s University) – Como o Brasil conta a história de mulheres negras no futebol

– Natália Suellen Pereira da Silva (Universidade Fernando Pessoa) – Contribuição à construção de uma história oral do jornalismo esportivo luso-brasileiro através da história de mulheres negras observando os aspectos da interseccionalidade

– Lídia Ramires (UFAL) – “Deixa Ela Trabalhar”: jornalismo esportivo e gênero

– Mediação: Sandra de Deus (UFRGS)

Divulgar as pesquisas que estão sendo desenvolvidas por estudantes de mestrado e doutorado nordestinas/os em programas de pós-graduação que versam sobre futebol e outros esportes no campo da Comunicação, sendo altamente estimulados diálogos com outras áreas das humanidades. Esse é o objetivo da II Jornada nordestina de pós-graduandas/os em Comunicação e Futebol, que será realizada pela Rede Nordestina de Estudos em Esporte e Mídia (ReNEme) de 16 a 20 maio de 2022, com transmissão aqui, pelo canal do Ludopédio.

Publicado em Deixe um comentário

Dulce Rosalina #2

Dulce Rosalina

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

No segundo episódio da série “Mulheres e Formas de Torcer”, a antropóloga Mariana Mandelli recebe a jornalista e pesquisadora Dani Araújo e a designer e produtora de conteúdo Fabris Martins.

Daniela pesquisa a representatividade feminina nas torcidas de futebol no doutorado. No mestrado, a comunicóloga estudou a história e a representatividade de Dulce Rosalina, considerada a primeira liderança feminina numa torcida de futebol no Brasil.

Fabris também é uma apaixonada por futebol. Mulher trans e militante que integra dois importantes projetos: Rosalinas e Frequências Abertas.

Publicado em Deixe um comentário

Pioneiras do gol e os desafios da preparação

Pioneiras goleiras

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

As goleiras Meg e Miriam Soares são as convidadas do #PorOutroFutebol. Com apresentação de Silvana Goellner e Juliana Cabral, o programa discutirá com as goleiras da seleção brasileira no mundial de 1991 os desafios da posição, as dificuldades na preparação e a memória das pioneiras do futebol feminino.

Publicado em Deixe um comentário

Ludopédio Educa – Futebol de mulheres: políticas esportivas e práticas de gestão

As inscrições para o curso Futebol de mulheres: políticas esportivas e práticas de gestão estão abertas até 14 de outubro de 2021.

O curso Futebol de Mulheres: políticas esportivas e práticas de gestão, o segundo de um longo ciclo dedicado ao futebol de mulheres, organizado em parceria com as professoras Silvana Goellner e Cláudia Kessler, irá debater as políticas esportivas e práticas de gestão das entidades que compõem o cenário atual de profissionalização da modalidade. A partir de experiências e projetos desenvolvidos em federações e clubes dentro e fora do Brasil, as professoras abordarão as ações e estratégias que têm sido adotadas para a superação de barreiras e fortalecimento estrutural da modalidade, bem como as perspectivas e desafios para o futuro do futebol de mulheres. Questões fundamentais para quem estuda academicamente o tema e para quem pretende aprofundar seus conhecimentos e trabalhar na área.

Docentes

Julia Barreira, Camila Gozzi e Ana Lorena Marche

Programa

Curso com 3 aulas de 2h (carga horária: 6 horas)

Aula 1 – 16/10/21 (10h às 12h)
As políticas esportivas (inter)nacionais para o futebol de mulheres

A primeira aula tem como objetivo apresentar um panorama das políticas esportivas nacionais e internacionais desenvolvidas para o futebol de mulheres, a partir de um olhar para as ações históricas e atuais da FIFA, de confederações continentais (CONMEBOL, UEFA, CONCACAF) e associações nacionais do Brasil e de outros países.

Aula 2 – 23/10/21 (10h às 12h)
Planejamento e gestão de projetos: Corinthians e Red Bull Bragantino

A segunda aula tem como objetivo abordar as potencialidades e desafios que envolvem a prática de gestão e planejamento do futebol de mulheres em clubes a partir das experiências e projetos desenvolvidos no Sport Club Corinthians Paulista e Red Bull Bragantino.

Aula 3 – 30/10/21 (10h às 12h)
Planejamento e gestão de projetos na Federação Paulista de Futebol (FPF)

A terceira irá abordar as potencialidades e desafios que envolvem a prática de gestão e planejamento do futebol de mulheres em federações a partir das experiências e projetos desenvolvidos na Federação Paulista de Futebol (FPF).

Informações gerais

Inscrições: até 14 de outubro de 2021
Início: 16 de outubro de 2021
Duração: 3 aulas (16/10, 23/10, 30/10)
Dias: Sábados
Horário: 10h-12h

Público Alvo: Profissionais da área esportiva; graduandos(as) e pós-graduandos(as) das áreas de Humanidades, Comunicação, Educação Física; e pesquisadores(as) de Estudos de Gênero e Sexualidade; jornalistas esportivos; docentes da Rede Básica de Educação (pública e privada); estudantes de Ensino Médio; interessados(as) por esporte no geral.

Investimento: R$ 120,00 (integral) e R$ 60,00 (profissionais de equipes esportivas e coletivos de mulheres; para estudantes, docentes da rede básica, negros, negras, indígenas e quilombolas)

Formato: aulas transmitidas ao vivo (plataforma Google Meet)

Entrega de Certificado Ludopédio.

Email para contato: [email protected] 

Faça já sua inscrição:

Para pagamento, acesse a página do Ludopédio Educa 

Formulário de inscrição: clique aqui

 

Valores

Valor integral: R$120,00
– Para profissionais e pesquisadores(as) de diversas áreas (Humanidades, Comunicação, Educação Física), e demais interessados(as).

Valor reduzido: R$60,00
– Profissionais de equipes esportivas de mulheres
– Pessoas vinculadas a coletivos de mulheres
– Participantes autodeclarados negros, negras, indígenas e quilombolas.
– Para estudantes de Ensino Médio, Graduação e Pós-graduação  e docentes da Rede de Educação Básica (privada e pública)
No momento da inscrição, anexar comprovante (carteirinha, registro) de estudante ou docente. 

Política de cancelamento

– Se o cancelamento ocorrer até 5 dias antes da data de início do curso, o Ludopédio restituirá o valor integral da inscrição.
– Se o cancelamento ocorrer menos de 5 dias antes da data de início do curso, o Ludopédio restituirá 50% do valor da inscrição.
– Se o cancelamento ocorrer na data de início do curso ou depois, não há restituição.

Outras informações

– Curso online em tempo real na plataforma Google Meet. O link de acesso será enviado no dia anterior à aula e a sala abrirá com 10 minutos de antecedência.
– O programa completo, as referências bibliográficas e o material complementar serão enviados por e-mail para inscritas(os) confirmadas(os) e compartilhados por meio do Google Drive. 
– Cada estudante receberá do Ludopédio o Certificado do curso.
– Não serão aceitas falas e posturas de intolerância racial, sexual e de gênero. 

Docentes

Júlia Barreira
Graduada, mestra e doutora em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). No doutorado analisou as ações de confederações e federações esportivas para o desenvolvimento do futebol de mulheres. Escreveu materiais didáticos sobre gestão e futebol para organizações como CONMEBOL, SESC e Futebol Interativo. Atualmente é docente no curso de Educação Física da Faculdade Anhanguera de Campinas (FAC) e da Universidade São Francisco (USF).

Camila Galimberti Gozzi
Profissional com 6 anos de experiência no mercado esportivo, com trajetórias no Sport Club Corinthians Paulista e Red Bull Bragantino. Iniciou a carreira profissional no Departamento de Marketing do Corinthians, quando foi responsável pela Comunicação e Marketing da categoria de futebol feminino e, em 2018, se tornou a primeira gerente de futebol feminino da instituição. Em 2020, estruturou o Departamento de Futebol Feminino do Red Bull Bragantino. Em 2021, trabalhou em uma competição internacional e por seleções, a Copa América 2021 – Brasil, como Content Creator, no headquarters Rio de Janeiro. Atualmente desenvolve Projeto de Consultoria, sendo o objeto de análise, o ecossistema do futebol feminino no país, com frentes como Pesquisas de Mercado, Scouting e captação de atletas.

Ana Lorena Marche
Mestre em Ciência do Esporte e doutora em Biodinâmica do Movimento e Esporte pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foi coordenadora de cursos da Universidade do Futebol. Ex-gerente da equipe feminina da Ferroviária até o final de 2019, foi responsável por coordenar todas as categorias do clube e participou da conquista de sete títulos, entre eles, o Campeonato Brasileiro. Em 2020, assumiu o cargo de coordenadora na Federação Paulista de Futebol (FPF). Atualmente, como diretora de futebol feminino da FPF, é responsável pelo departamento e o desenvolvimento e fomento do esporte no estado de São Paulo.

Publicado em Deixe um comentário

Transição e plano de carreira

Franzinha e Andreia Rosa

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

Na décima edição do programa #PorOutroFutebol de mulheres, as anfitriãs Silvana Goellner e Juliana Cabral recebem Franzinha e Andreia Rosa, ícones de toda uma geração da seleção brasileira. A história de vida, a carreira no futebol e o futuro após pendurar as chuteiras estão na pauta.

Publicado em Deixe um comentário

Violências e resistências #1

Mulheres e formas de torcer

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

A pesquisadora Mariana Mandelli ocupou mais um espaço importante de debate aqui no canal do Ludo. Dando continuidade à sua linha de pesquisa que investiga Arenas e as práticas torcedoras, a jornalista e antropóloga Mari Mandelli apresenta a série Mulheres e formas de torcer: violências e resistências” no canal do Ludopédio.

A jornada que se inicia neste mês de setembro terá pelo menos outros 3 encontros pra conversar com lideranças torcedoras de todo o Brasil e aprofundar o debate sobre as mulheres na Arquibancada – e fora delas, também, claro, analisando as suas mais variadas formas de torcer.

No programa de estreia, Mari recebe Aline Medeiros, professora, comentarista do canal Linha de Tr3s, membra da GRUPA, e Fernanda Martins, Técnica em Serviços Jurídicos, membro do coletivo Santos Antifacista e associada na Torcida Jovem.

Publicado em Deixe um comentário

Futebol e Ditaduras: Estado Novo e o esporte de mulheres – Mesa 02

Futebol e Ditaduras

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

É com enorme satisfação que o Ludopédio apresenta o III Seminário Brasil Republicano: Futebol e Ditaduras, em parceria com o Instituto de História da Universidade Federal Fluminense e com o grupo de pesquisa Brasil Republicano (BR-PHCP) que reúne especialistas de universidades de todo o Brasil.

O evento partiu do convite da historiadora Lívia Magalhães, que é uma das professoras aqui no #LudopédioEDUCA, e autora de pesquisas indispensáveis na chave futebol e regimes autoritários.

A proposta aceita de bate-pronto é um mais uma tabelinha que nos enche de orgulho e reforça nosso compromisso com a divulgação científica.

Nesta primeira sessão, temos a alegria de anunciar a presença das pesquisadoras Fernanda Haag (USP), Nathalia Fernandes (UFF), Aira Bonfim (CPDOC-FGV) e Giovana Capucim (USP). Com a mediação da organizadora do Seminário, a professora Lívia Magalhães, o debate trará os efeitos da ditadura varguista nas práticas esportivas de mulheres e seus desdobramentos.

Publicado em Deixe um comentário

O trabalho na base

LudopédioemCasa recebe as assistentes sociais Regiane Ferreira (SCCP) e Bárbara Parra (SEP

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

Como é o dia-a-dia de trabalho dos profissionais das categorias de base nos clubes de futebol no Brasil? Qual o papel que as assistentes sociais dos clubes desempenham na formação de jovens atletas? Para entrar nestas questões, o #LudopédioemCasa receberá nesta terça, a partir das 20h30, as assistentes sociais Regiane Ferreira (Corinthians) e Bárbara Parra (Palmeiras).

E para enriquecer o debate, convidamos duas grandes parceiras do Ludo para a mediação: a psicóloga do esporte, pesquisadora do GeFut/UFMG, Marina Dantas, e a nova apresentadora do programa #PorOutroFutebol, pesquisadora e mestranda em serviço social (PUC-SP), Roberta Pereira.

Saiba mais sobre as convidadas:

Regiane Cristina Ferreira
Assistente Social, trabalhadora na área de crianças e adolescentes que praticam e treinam futebol, no Sport Club Corinthians Paulista há 15 anos. Militante do Movimento de Assistentes Sociais no Futebol que faz a defesa dos direitos das crianças e adolescentes que praticam o esporte, desde 2013. Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP (2019). Especialista em Serviço Social – Direitos Sociais e Competências Profissionais Cfess/Unb (2010). Graduada pela Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano do Sul em 2000 (FAPSS São Caetano do Sul). Conselheira estadual do Conselho Regional de Serviço Social de SP, integrante da Comissão de Orientação e Fiscalização Profissional, da Comissão Ampliada de Ética e Direitos Humanos, e do Comitê Assistentes Sociais no Combate ao Racismo do CRESS-SP.

Bárbara Santos Parra
Graduada em Serviço Social pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) e aluna no curso de Pós-graduação: Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global – 2021. (PUC- RS). Atuando na Sociedade Esportiva Palmeiras desde 2015, tendo ingressado como estagiária, há 06 anos atuando como Assistente Social no Departamento Socioeducacional das categorias de base. Membro da Comissão de Orientação e Fiscalização Profissional (COFI), da Comissão Ampliada de Ética e Direitos Humanos (CAEDH) e integrante do Comitê de Combate ao Racismo do CRESS/SP. 

Publicado em Deixe um comentário

Futebol e Ditaduras: Estado Novo e o esporte de mulheres

Futebol e Ditaduras

Inscreva-se no canal do Ludopédio!

É com enorme satisfação que o Ludopédio apresenta o III Seminário Brasil Republicano: Futebol e Ditaduras, em parceria com o Instituto de História da Universidade Federal Fluminense e com o grupo de pesquisa Brasil Republicano (BR-PHCP) que reúne especialistas de universidades de todo o Brasil.

O evento partiu do convite da historiadora Lívia Magalhães, que é uma das professoras aqui no #LudopédioEDUCA, e autora de pesquisas indispensáveis na chave futebol e regimes autoritários. A proposta aceita de bate-pronto é um mais uma tabelinha que nos enche de orgulho e reforça nosso compromisso com a divulgação científica.

Nesta primeira sessão, temos a alegria de anunciar a presença das pesquisadoras – e grandes parceiras do Ludo – Leda Costa (UERJ) e Silvana Goellner (UFGRS). Com a mediação da organizadora do Seminário, a professora Lívia Magalhães, o debate trará os efeitos da ditadura varguista nas práticas esportivas de mulheres e seus desdobramentos.