Corpos de atletas trans e políticas de biologização do sexo

Biblioteca

Seja um dos 25 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
ISSN 1806-9584
Seção temática Gênero, tecnologias e (novas) formas de subjetivação nas práticas esportivas

A generificação dos corpos de atletas trans e políticas de biologização do sexo

Periódico / Revista

Revista Estudos Feministas

Número

n. 2

Volume

v. 29

Tema

Seção temática Gênero, tecnologias e (novas) formas de subjetivação nas práticas esportivas

Páginas

p. 1-13

Arquivos

Resumo

Objetivamos problematizar o esporte enquanto um dispositivo que interpela os corpos a partir de saberes biológicos e práticas biotecnológicas para a construção de gênero, sexo e sexualidade em atletas. Discutimos essas práticas em situações que envolveram tanto atletas mulheres como transexuais no cenário esportivo nacional e internacional, e os modos como se operaram testes para discernir a que categorias esses sujeitos deveriam pertencer no âmbito esportivo. Nessas situações, os recursos de categorização de sexo, em seus desdobramentos de gênero e sexualidade, foram sustentados sob a égide da biologia e das biotecnologias moleculares e gênicas. Consideramos que a biologia do corpo de atletas não deveria se colocar como recurso discursivo totalizante nas marcações identitárias desses sujeitos.

Palavras-chave: esporte; gênero; sexualidade; biotecnologia; dispositivo

Resumo (outro idioma)

El objeto es problematizar el deporte como un dispositivo que desafía los cuerpos a partir del conocimiento biológico y de prácticas biotecnológicas, lo cual construye relaciones de género, sexo y sexualidad en los deportistas. Para ello, se propone discutir sobre estas prácticas en situaciones que involucraron tanto a deportistas mujeres como transexuales en el ámbito deportivo nacional e internacional, con la intención de observar las formas en que se reconocen las pertinencias de estos sujetos con el campo deportivo. Se interpela que en estas situaciones los recursos para categorizar el sexo, el género y la sexualidad se sustentaron bajo el amparo de discursos biologicistas y biotecnológicos moleculares y genéticas. Se considera que la biología del cuerpo de los deportistas no debiera verse como un recurso discursivo totalizador en las identidades de estos sujetos.

Palabras clave: deporte; género; sexualidad; biotecnología; dispositivo

Abstract

The aim is to analyze sport as a body’s device, challenging it epistemological conception as a biological matter and a biotechnological practice object of gender, sex, and sexuality construction in athletes. We discuss this conceptualization in situations that involved both female and transexual athletes in the national and international sports scene, and the ways in which these examples allow us to rethink subjectivity categories in the sports field. In these situations, the resources for categorizing sex, gender, and sexuality, were sustained under the aegis of biology and molecular and genetic biotechnologies. We believe that the biology of athletes’ bodies should not be seen as a totalizing discursive resource in the identity construction of these subjects.

Keywords: Sport; Gender; Sexuality; Biotechnology; Device

Cadastre-se para receber novidades