Nota sobre a escalada de violência entre Torcidas Organizadas e facções criminosas em Belém do Pará

Equipe Ludopédio 13 de janeiro de 2021

O Ludopédio tomou conhecimento do ocorrido no último domingo, dia 10/01, em Belém. E é importante que o resto do país, as autoridades e poder público tomem conhecimento do que vem ocorrendo no Pará. 

Após o clássico entre Remo e Paysandu, que garantiu o acesso do Remo à Série B, houve no Conjunto CDP, em Belém, uma briga generalizada entre os torcedores das duas equipes. Na noite do dia 10, pelo menos três homens foram brutalmente espancados, e dois ficaram em estado grave, um deles morreu. Ainda na madrugada do dia 10 para o dia 11, duas pessoas foram feridas por disparos.

Há inúmeros registros da briga nas redes sociais, e por motivos óbvios, não vamos compartilhar nenhum. Em um deles, registrado por uma mulher, é possível ouvi-la, com um tom de vibração, a expressão “Foi sal!” ao ver um homem deitado no chão. A expressão queria dizer que ele havia sido morto.

Na noite do dia 12/01, outro vídeo passou a ser compartilhado nas redes. Nele é possível ver um casal abraçado, são Thays Costa (Tatá da Remoçada) e o namorado, sendo executados. O casal supostamente estaria envolvido na morte do torcedor do Paysandu no último domingo. Tatá não sobreviveu ao disparo na cabeça, o se namorado foi socorrido e encontra-se em estado grave.

Todos os indícios apontam que Tatá foi assassinada nos moldes do “tribunal do crime”. De acordo com a polícia, a sua execução está associada a facções criminosas, que estão ligadas às organizadas tanto do Remo, quanto do Paysandu. Não é de hoje que facções criminosas buscam controlar não só as organizadas, mas o Estado do Pará.

Uma dessas facções é o Comando Vermelho, que emitiu uma nota assumindo a autoria da execução de Tatá. Na mesma nota, a facção pede o fim da guerra entre as torcidas organizadas no Estado do Pará, caso contrário, eles irão executar os presidentes da organizadas. É evidente que o medo tomou conta das direções e dos membros das torcidas.

Diante dessa escalada de violência, o Ludopédio repudia veementemente toda e qualquer forma de violência. Como estudiosos do futebol, entendemos – mas não justificamos – o que leva a violência entre as torcidas, da mesma forma, entendemos que é possível construir uma relação de rivalidade sem ser violenta. Entendemos, ainda, que é possível construir a paz entre as torcidas a partir do diálogo, não por meio de ameaças e violência. Então, pedimos o fim dessa escalada, torcendo pela paz entre as torcidas do Pará.

A guerra, e o medo, só nos empurrará para o abismo. Paz entre as torcidas! 

 

Referências: 

https://www.oliberal.com/policia/conjunto-cdp-tem-noite-de-pancadaria-apos-re-pa-1.344176

https://www.diarioonline.com.br/noticias/policia/634219/cenas-fortes-video-mostra-momento-em-que-envolvidos-na-morte-de-torcedor-em-belem-sao-executados

https://globoesporte.globo.com/pa/futebol/brasileirao-serie-c/noticia/briga-entre-torcedores-de-remo-e-paysandu-deixa-tres-homens-gravemente-feridos.ghtml

https://www.oliberal.com/policia/torcedora-do-remo-e-morta-a-tiros-no-barreiro-1.344687

Equipe Ludopédio

Nosso objetivo é criar uma rede de informações, de pesquisadores e de interessados no tema futebol. A ideia de constituir esse espaço surgiu da necessidade e ausência de um centro para reunir informações, textos e pesquisas sobre futebol!
Veja também:
  • 25 de agosto de 2021

    Ludopédio Educa – Clássicos vs Clássicos: revisitando estudos sobre esportes

    Luiz Henrique de Toledo
  • 22 de julho de 2021

    Ludopédio Educa – Futebol e Democracia: práticas de liberdade no esporte brasileiro

    José Paulo Florenzano, Mariana Zuaneti Martins, Max Filipe Nigro Rocha
  • 24 de junho de 2021

    Ludopédio Educa – Futebol e racismo: uma introdução

    Marcel Diego Tonini, Marcelo Medeiros Carvalho, Marina de Mattos Dantas, Roberta Pereira da Silva