Biblioteca

Seja um dos 16 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
Dissertação

Chama as mina pro jogo

Museologia e gênero no Museu do Futebol
Ano

2023

Faculdade/Universidade

Programa de PósGraduação Interunidades em Museologia, Universidade de São Paulo

Tema

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Museologia

Páginas

317

Arquivos

Resumo

A presente dissertação aborda o processo de inclusão do futebol de mulheres nas práticas museológicas do Museu do Futebol, em São Paulo. Inaugurada em 2008 no Estádio do Pacaembu, a instituição abriu as portas tendo apenas uma mulher representada como jogadora de futebol a alagoana Marta Vieira da Silva. A ausência não repercutiu inicialmente na opinião pública, mas era notada continuamente pelo público visitante. A partir de 2015, o projeto Visibilidade para o Futebol Feminino promoveu o hackeamento da exposição de longa duração, com a inclusão de imagens e referências sobre outras jogadoras. Em 2019, a exposição temporária CONTRA-ATAQUE! As Mulheres do Futebol deu ênfase ao período da proibição do futebol de mulheres no Brasil, entre 1941 e 1979, e à resistência dos times e jogadoras que continuaram praticando mesmo sob o risco de prisão. A partir principalmente destes dois casos, a dissertação aborda o percurso do Museu do Futebol sob a perspectiva de gênero, aproximando-se do que poderia ser chamado de Museologia Feminista. A pesquisa apresenta um resumo dos debates contemporâneos a respeito de gênero na Museologia e das perspectivas feministas interseccionais; analisa o contexto político de criação do Museu do Futebol como projeto da Fundação Roberto Marinho; especifica como mudou a exposição de longa duração a partir de 2015; e explora como as reciprocidades entre as práticas museológicas, os debates contemporâneos e como as equipes internas afetam e são afetadas por estes processos.

Palavras-chave: Museus, Museologia, Gênero, Futebol.

Abstract

This dissertation addresses the process of including women’s football in the museological practices of the Football Museum in São Paulo. Inaugurated in 2008 at the Pacaembu Stadium, the institution initially featured only one woman represented as a football player Marta Vieira da Silva from Alagoas. The absence initially did not resonate with the public opinion, but it was continuously noticed by the visiting audience. Starting in 2015, the project “Visibility for Women’s Football” promoted the hacking of the long-term exhibition by including images and references to other female players. In 2019, the temporary exhibition “COUNTERATTACK! Women in Football” emphasized the period of the prohibition of women’s football in Brazil, between 1941 and 1979, and the resistance of teams and players who continued to play despite the risk of imprisonment. Based primarily on these two cases, the dissertation examines the trajectory of the Football Museum from a gender perspective, approaching what could be called Feminist Museology. The research provides a summary of contemporary debates on gender in Museology and intersectional feminist perspectives; analyzes the political context of the creation of the Football Museum as a project of the Roberto Marinho Foundation; specifies how the long-term exhibition changed from 2015 onwards; and explores how the reciprocities between museological practices, contemporary debates, and internal teams are affected by, and affect these processes.

Keywords: Museums, Museology, Gender, Football.

Sumário

INTRODUÇÃO, 17

1 AS MULHERES PRECISAM ESTAR NUAS PARA ENTRAR NO MUSEU?, 23
1.1 Mulheres, gênero, relações sociais e poder, 27
1.2 Por que “gênero”?, 29
1.3 Gênero e conceitos da Museologia, 32
1.4 Museus e feminismo ao longo da história, 38
1.5 Feminismo negro, interseccionalidade e Museologia Social, 42
1.6 O poder das palavras, 47

2 NÃO SE NASCE MUSEU, TORNA-SE MUSEU, 50
2.1 O Museu do Futebol na Academia, 51
2.2 Como surge um museu público, 61
2.3 Quem se chama para o jogo?, 69
2.4 “Um museu que comemora (…) o homem brasileiro”, 89
2.5 “Pé de mulher não foi feito p’ra se metter em shooteiras!”, 125

3 CHAMA AS MINA PRO JOGO!, 139
3.1 Um questionamento recorrente do público, 140
3.2 “Visibilidade para o futebol feminino”, 150
3.2.1 Produtos e resultados tangíveis e intangíveis, 177
3.2.2 Hackeamento e contranarrativa, 181
3.3 “CONTRA-ATAQUE! As Mulheres do Futebol”, 183
3.3.1 Uma exposição-manifesto, 187
3.3.2 Produtos derivados: programação cultural, educativa e comunicação, 201
3.3.3 A reação do público, 205
3.3.4 Olhar o mundo sob a perspectiva de gênero, 210

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 218
REFERÊNCIAS, 223

ANEXOS
ANEXO A – ENTREVISTA COM DANIELA ALFONSI, 231
ANEXO B – ENTREVISTA COM AS EDUCADORAS DÉBORA OLIVEIRA E JÚLIA ROSA, 258
ANEXO C – ENTREVISTA COM A TÉCNICA EM DOCUMENTAÇÃO DÓRIS RÉGIS, 289
APÊNDICE – CONTEÚDOS DERIVADOS DE “VISIBILIDADE PARA O FUTEBOL FEMININO” E “CONTRA-ATAQUE! AS MULHERES DO FUTEBOL”, 304

Referência

LACERDA, Renata Maria Beltrão. Chama as mina pro jogo: Museologia e gênero no Museu do Futebol. 2023. 317 f. Dissertação (Mestrado em Museologia) - Programa de PósGraduação Interunidades em Museologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2023.
Ludopédio

Acompanhe nossa tabela do Campeonato Brasileiro - Série A