Biblioteca

Seja um dos 14 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA
ISBN 9786584540088
Coleção Academia Ludopédio

O futebol brasileiro

Instituição zero
Ano

2023

Tema

Coleção Academia Ludopédio

Páginas

308

Editora

Editora Ludopédio

Sinopse

Pioneiro nos estudos dos esportes em interface com as Ciências Sociais, O futebol brasileiro: instituição zero, de Simoni Lahud Guedes, precisou de quarenta e seis anos para assumir o formato de livro. Dentre os muitos aspectos interessantes do trabalho, destaca-se o entendimento de que, no Brasil, o fenômeno do futebol transcende a atividade social, a prática e o espetáculo, sendo necessário passar daí para o nível das representações. Foi por essa via que Simoni analisou significados contidos nos discursos da imprensa sobre a participação da seleção brasileira em Copas do Mundo, o que lhe permitiu identificar, respectivamente, nas edições de 1950 e 1970, a alternância entre uma “ideologia da derrota” e uma “ideologia da vitória” que explicariam os resultado obtidos em campo ora por associação à “raça inferior” do povo brasileiro, composto de mestiços, ora à sua “raça superior”, igualmente mestiça, mas representada como melhor e mais capaz que todas as outras. Contando com uma etnografia realizada junto a operários de uma fábrica do subúrbio do Rio de Janeiro, o trabalho mostra que, no plano das representações, tamanha é a carga simbólica do futebol que, quando entra em campo, sobretudo nas Copas do Mundo, não é a seleção que o faz e, sim, o próprio Brasil! E quando vence, também não, mas todos nós! Reside aí, talvez, a chave explicativa para os recorrentes e significativos apelos de Simoni à máxima de que, no Brasil, futebol não é esporte.

Edilson Márcio Almeida da Silva – Antropólogo, professor permanente do Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal
Fluminense

Sumário

Nota do Ludopédio à edição, 13

Prefácios
O primeiro lampejo de uma craque, 17
Simoni Lahud Guedes e suas paixões, 23
Ideias-valores e práticas sociais de trabalhadores urbanos: legados antropológicos de Simoni Lahud Guedes, 29

Apresentação, 55

O futebol brasileiro: instituição zero, 75

Nota, 77

Introdução, 79

I. Lazer e futebol, 83

II. O jogo de futebol, 95

III. O discurso da imprensa carioca sobre Copas do Mundo, 111
Brasileiros x estrangeiros ou a seleção brasileira na Copa do Mundo, 116
A ideologia da derrota, 125
A Copa do Mundo de 1950, 126
A Copa do Mundo de 1966, 142
A ideologia da vitória, 155

IV. O operário urbano e o futebol, 173
Introdução, 174
A entrada no grupo e o trabalho de campo, 178
O bairro, a fábrica e o clube: Bangu, a Bangu e o Bangu, 183
Futebol: ópio do povo?, 195
A ascensão social através do futebol, 202
Os times de “pelada”, 217
Conclusão, 227

Bibliografia citada, 231

Bibliografia sobre o futebol brasileiro, 233

“Etnografia é uma coisa assustadora”: entrevista com Simoni Guedes, 247

Posfáscios
Posfácio em três tempos, 269
O que nos une e nos divide, 283
Manuscrito hallado en una botella, 293

Sobre a autora, 305

Referência

GUEDES, Simoni Lahud. O futebol brasileiro: Instituição zero. São Paulo: Editora Ludopédio, 2023.