Biblioteca

Seja um dos 15 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Coisa de Homem: a produção de relatos acadêmicos e políticos sobre o futebol uruguaio

Número

n. 2

Ano

2023

Volume

v. 16

Páginas

p. 1-19

Arquivos

Resumo

Desde o final da década de 1960, os estudiosos analisam o futebol no Uruguai a partir de diversas perspectivas teóricas. Desde que Morales (1969) discutiu os “mitos e realidades” do futebol uruguaio, uma série de académicos, tanto nacionais como estrangeiros, realizaram vários estudos sobre a história e a identidade do futebol neste país. Assim, o objetivo deste trabalho é fazer uma revisão, a partir de uma perspectiva de género, de todos os estudos sociológicos e históricos anteriores sobre o futebol uruguaio. Utilizando uma metodologia etno-histórica, pretendemos construir um estudo coletivo que conduza a uma série cronológica de discursos que construam as bases sociais para explicar a ausência de mulheres nas histórias do futebol uruguaio. Este estudo procurará as razões que explicam a ausência de mulheres nas narrativas sobre o futebol uruguaio. Espera-se que a resposta a essa “inexistência” tenha dois fundamentos inter-relacionados: a) a sociedade patriarcal uruguaia relegou a presença das mulheres a papéis de acompanhamento e não de protagonistas, inclusive na arena do futebol e b) os discursos midiáticos, acadêmicos e historiadores dominantes, na busca de construir seu objeto de pesquisa e conectá-lo às virtudes masculinas locais, deixaram de fora o futebol praticado pelas mulheres. Este capítulo também fornecerá uma série de propostas para ações futuras sobre a equidade de gênero nos campos de futebol uruguaios, tanto para expandir o conhecimento histórico do futebol feminino no Uruguai quanto para defender mais pesquisas educacionais que apoiem mais meninas e mulheres a ocupar seu espaço no principal esporte uruguaio

Palavras-chave: Futebol; História; Etno-história; Mulheres

Resumo (outro idioma)

Resumen: Desde finales de la década de 1960, los estudiosos han analizado el fútbol en Uruguay desde diversas perspectivas teóricas. Desde que Morales (1969) discutiera los “mitos y realidades” del fútbol uruguayo, varios académicos, tanto nacionales como extranjeros, han realizado diversos estudios sobre la historia y la identidad del fútbol en este país. Por lo tanto, el objetivo de este trabajo es revisar, desde una perspectiva de género, todos los estudios sociológicos e históricos previos sobre el fútbol uruguayo. Utilizando una metodología etnohistórica, se pretende construir un estudio colectivo que conduzca a una serie cronológica de discursos que construyan las bases sociales para explicar la ausencia de las mujeres en las historias del fútbol uruguayo. Este estudio buscará las razones que explican la ausencia de las mujeres en las narrativas sobre el fútbol uruguayo. Se espera que la respuesta a esta “inexistencia” tenga dos fundamentos interrelacionados: a) la sociedad patriarcal uruguaya ha relegado la presencia de las mujeres a roles de acompañamiento y no de protagonismo, incluso en el ámbito futbolístico, y b) los discursos mediáticos, académicos e historiadores dominantes, en su afán por construir su objeto de investigación y conectarlo con las virtudes masculinas locales, han dejado de lado el fútbol jugado por mujeres. Este capítulo aportará también una serie de propuestas para futuras acciones sobre equidad de género en los campos de fútbol uruguayos, tanto para ampliar el conocimiento histórico del fútbol femenino en Uruguay como para abogar por más investigaciones educativas que apoyen a más niñas y mujeres a ocupar su espacio en el principal deporte uruguayo.

Palabras clave: Fútbol; Historia; Etnohistoria; Mujeres.

Abstract

Scholars have been analysing football in Uruguay from a range of theoretical perspectives since the late 1960s. Ever since Morales (1969) discussed the ‘myths and realities’ of Uruguayan football, an array of academics, both national and foreigners, have carried out several studies on the history and identity of football in this country. Thus, the objective of this work is to review, from a gender perspective, all past sociological and historical studies on Uruguayan football. Employing an ethnohistorical methodology, we intend to construct a collective study that will lead to a chronological series of discourses that build the social foundations to explain the absence of women within Uruguayan football stories. This study will look to the reasons behind the absence of women in the narratives about Uruguayan football. It is expected that the answer to this ‘nonexistence’ has two interrelated grounds: a) Uruguayan patriarchal society relegated the presence of women to roles of accompaniment and not of protagonists, including in the football arena and b) media discourses, dominant academics and historians, in their quest to build their research object and to connect it to the local masculine virtues, left out the football practiced by women. This chapter will also provide a series of proposals for future action on gender equity in Uruguayan football fields, both to expand the historical knowledge of women’s football in Uruguay and also to argue for more educational research that supports more girls and women to occupy their space in the main Uruguayan sport.


Keywords: Football; History; Ethnohistory; Women

Referência

MACHADO, Diego Alsina; PEREYRA, Bruno Mora. Coisa de Homem: a produção de relatos acadêmicos e políticos sobre o futebol uruguaio. Recorde: Revista de História do Esporte. Rio de Janeiro, v. 16, n. 2, p. 1-19, 2023.
Ludopédio

Acompanhe nossa tabela do Campeonato Brasileiro - Série A