161.9

O chefe mandô

Cláudia Samuel Kessler 9 de novembro de 2022

Se o chefe mandô
Tá dado o recado
É pra cumprir logo, já
Sem ser contestado

Se doer o seu pé
Toma outro pisado
E vai, aguenta com fé
Segue calado

É que o sistema não deixa,
És empregado!
E se expressar uma queixa,
Desempregado!

E não há nada que abrande
Dor de dedo ralado
E a bagunça tá grande,
No almoxarifado!

O chefe não é cartola
Mas ganha no jogo da meritocracia
É dono do campinho e da bola
E entende de autocracia

E quem disse que já acabou a escravidão?
Mesmo com ar condicionado ou calefação
São horas e horas de muito trabalhar
E se pisar na bola, procure outro lugar

E daqui mando minha apreciação da existência
De quem na dura jornada produz resistência
Trabalho não dignifica, quando se quer humilhar
Porque se é chefe e não líder, há de falhar

O chefe manda o recado
E eu posso também
E dentro do meu gramado
Não tem pra ninguém!

Seja um dos 12 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Cláudia Kessler

Jornalista e cientista social. Doutora em Antropologia Social (UFRGS).

Como citar

KESSLER, Cláudia Samuel. O chefe mandô. Ludopédio, São Paulo, v. 161, n. 9, 2022.
Leia também:
  • 161.29

    O estádio de futebol em 2050. Parte I: Distopia

    Natália Rodrigues de Melo
  • 161.28

    Dirigentes esportivos no Brasil: o que a academia diz

    Letícia Marcolan
  • 161.27

    Los campos de fútbol romanos donde Pasolini recuperaba la infancia

    Julio Ocampo