• E um dia, afinal, tinham direito a uma alegria fugaz

    Miguel Enrique Stédile | 18 de março de 2022
  • Capitão Cláudio Coutinho: símbolo da militarização do futebol

    Miguel Enrique Stédile | 3 de fevereiro de 2022
  • Futebolistas e Federalistas: uma analogia entre o atual cenário futebolístico brasileiro e o livro O Federalista

    Felicce Fatarelli Fazzolari | 11 de janeiro de 2022
  • 1974: nas janelas e varandas, são raras as bandeiras

    Miguel Enrique Stédile | 1 de dezembro de 2021
  • ISSN: 2446-6174
    Volumes
  • 153.21

    E um dia, afinal, tinham direito a uma alegria fugaz

    Miguel Enrique Stédile
  • 152.4

    Capitão Cláudio Coutinho: símbolo da militarização do futebol

    Miguel Enrique Stédile
  • 151.10

    Futebolistas e Federalistas: uma analogia entre o atual cenário futebolístico brasileiro e o livro O Federalista

    Felicce Fatarelli Fazzolari
  • 150.1

    1974: nas janelas e varandas, são raras as bandeiras

    Miguel Enrique Stédile
  • 148.40

    Muito além do Projeto México: a militarização da seleção brasileira nos anos 1970

    Miguel Enrique Stédile
  • 144.31

    Helsinque 1952 – Um tom mais forte de vermelho nas Olimpíadas

    Paulinho Oliveira
  • 144.13

    “Não se vence a qualquer custo”: Tite, foram essas as suas palavras em Oruro

    Vinicius Garzon Tonet
  • 142.60

    Uma nova chance para uma Londres aos escombros

    Paulinho Oliveira
  • 142.30

    Berlim 1936 – O mundo, inclusive o olímpico, vira de ponta-cabeça com o Nazismo (parte 2)

    Paulinho Oliveira
  • 142.14

    Berlim 1936 – O mundo, inclusive o Olímpico, vira de ponta-cabeça com o nazismo (parte 1)

    Paulinho Oliveira
  • 142.2

    Los Angeles 1932 – Uma saga olímpica para driblar a crise

    Paulinho Oliveira
  • 141.51

    Amsterdã 1928 – Dois grandes debutantes: uma bebida e um cartola

    Paulinho Oliveira
  • Cadastre-se para receber novidades