153.8

Shakhtar Donetsk, o time da região “mais russa” da Ucrânia

Shakhtar Donetsk
Foto: Divulgação/Shakhtar Donetsk

O time treze vezes campeão ucraniano, vencedor de uma edição da Copa da Uefa (atualmente Liga Europa) e casa de algumas dezenas de jogadores brasileiros ao longo das últimas duas décadas, Shakhtar Donetsk carrega o nome de sua cidade.

O clube se tornou conhecido por ser o “mais brasileiro do futebol europeu”, ou como era chamado em algumas transmissões “a legião brasileira”, já não tem o direito de mandar seus jogos em Donetsk há cerca de oito anos. O motivo: um conflito com a Rússia.

No ano de 2014, Vladmir Putin, presidente russo, iniciou os primeiros ataques ao território ucraniano, a cidade de Donetsk foi afetada e o time ficou sem casa. Seu estádio, a Dobass Arena, foi bombardeada nos confrontos armados entre os exércitos ucranianos e as forças separatistas pró-Rússia.

Durante este período, a equipe do Shakhtar já teve três casas provisórias, praticamente um nômade. Primeiro, fez seus jogos como mandante em Lviv (a mais de 1.000 km de Donetsk). Já em 2017, migrou para Kharkiv, e, desde a temporada 2019/20 joga na capital Kiev.

Putin defendia que a região de Donetsk era mais russa do que ucraniana, isso antes mesmo deste novo conflito armado na Ucrânia. O político alegava que a cidade abrigava muitas famílias que ficaram “presas” por lá após a dissolução da União Soviética.

A Donbass Arena foi o local onde o governo russo deu início aos ataques contra o território ucraniano. Segundo Putin, a operação na região tinha como objetivo defender o povo separatista dos “oito anos de genocídio” provocados por Kiev.

A guerra não ficou apenas na área da cidade de Donetsk. De acordo com o governo da Ucrânia e a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), o exército russo está praticando uma “invasão total” ao país e bombardeou várias cidades de diferentes regiões.

Donbass Arena
Donbass Arena. Fonte: Wikipédia
 

Sobre a Cidade

Donetsk (anteriormente conhecida como Stalino) é a principal cidade da área de mineração da região de Donbass, assim como um dos principais centros metalúrgicos da Ucrânia. Tem uma população de cerca de dois milhões de habitantes.

A bacia de Donbass faz fronteira com a Rússia na costa norte do Mar Negro, e possui enormes reservas de carvão. A presença de falantes de russo na região tem relação com o grande número de trabalhadores russos enviados para lá após a Segunda Guerra Mundial, durante o período soviético.

Donetsk Donbass Arena 09
Donetsk Donbass Arena 09. Fonte: Wikipédia

Futebol

O Campeonato Ucraniano de futebol foi paralisado desde a iminência da invasão russa. A invasão ocorreu, a guerra está em curso e os jogadores brasileiros que se encontram no país, estão em um hotel, buscando alternativas para sair.

Ao todo, são 41 jogadores nascidos no Brasil, que atuam no futebol ucraniano, a maioria deles no Shaktar Donetsk. Entre os quarenta e um jogadores brasileiros, trinta e um deles jogam em times da primeira divisão e a maioria, 13, defende o Shakhtar Donetsk. Mais atletas disputam outras ligas, como o atacante Paulinho Bóia, do Metalist Kharkiv, um dos dez brasileiros na segunda divisão.

O Shakhtar conta com os seguintes jogadores: Marlon Santos (zagueiro), Vitão (zagueiro), Dodô (lateral), Vinicius Tobias (lateral), Ismailly (lateral), Marcos Antônio (meio-campista), Maycon (meio-campista), Alan Patrick (meio-campista), David Neres (atacante), Tetê (atacante), Pedrinho (atacante), Fernando (atacante) e Júnior Moraes (atacante e naturalizado ucraniano).

Seja um dos 9 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Leila de Melo

Ex-atleta frustrada e jornalista por vocação. Fã de Kobe Bryant e de esquema 4-4-2. Escreve sobre esporte, porque a vida não  é o bastante. Jornalista formada em comunicação social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Como citar

MELO, Leila de. Shakhtar Donetsk, o time da região “mais russa” da Ucrânia. Ludopédio, São Paulo, v. 153, n. 8, 2022.
Leia também:
  • 153.37

    Andrés Rueda e o Santos: reflexões sobre a austeridade no futebol

    Pedro Zan
  • 153.36

    Balanço das Eliminatórias sul-americanas de 2022

    Fabio Perina
  • 153.35

    As tensões da racionalidade expressas no caso do goleiro Fábio

    Caio Pedron