139.44

O primeiro jogador brasileiro no Japão

Daishiro Yoshimura e Pelé na partida de despedida de Kanamoto. Foto: Reprodução/Japan Soccer Archive.

Atletas brasileiros sempre foram importantes para a evolução do futebol japonês. Até hoje, há jogadores que vão fazer carreira do outro lado do mundo e se destacam por lá. Mas você sabe quem foi o primeiro a ir para o Japão? Conheça Nelson Daishiro Yoshimura!

A nacionalidade brasileira é a mais presente dentre os jogadores estrangeiros que atuam na elite da J-League 1, a primeira divisão do campeonato japonês. Todos os anos, vemos um ou outro brasileiro se destacar: Patric, Marcos Jr., Leandro Damião…

Qualquer entusiasta do futebol nas terras nipônicas sabe a influência que o Brasil teve para o desenvolvimento do futebol no país, desde a passagem de Zico até a presença de jogadores brasileiros naturalizados na seleção principal, como Marcos Túlio Tanaka, Ari e Wágner Lopes.

No entanto, quase não se fala de como começou essa relação do Brasil com o Japão no futebol. Tanto aqui quanto lá, as pessoas não sabem quem foi o brasileiro que encantou o Japão com seu futebol antes da profissionalização da modalidade: Yoshimura.

O início da carreira

Nelson Yoshimura nasceu em 1947, em Tupã, interior de São Paulo, mas foi na cidade de Adamantina onde deu os primeiros passos para o futebol.

De lá, foi para a capital jogar na várzea paulista. Filho de pais japoneses, Nelson começou a jogar no Grêmio Recreativo Tóquio e acabou conquistando um título de futebol amador, em 1966, o Campeonato Nissei.

No Japão, o futebol ainda era amador, não havia liga profissional e, no geral, as equipes eram formadas por funcionários de empresas e outros convidados. Uma dessas equipes era o Yanmar Diesel, que queria um jogador de velocidade.

Seu pai conseguiu organizar a sua transferência e insistiu para que ele fosse para o outro lado do mundo, mesmo contra a sua vontade, deixando a família para trás.

Provavelmente, ele nem imaginava que sairia do status de anônimo no Brasil para ídolo de um time japonês e ser reconhecido como um craque da antiga seleção nipônica.

Conquistando o Japão no Yanmar

No ano seguinte àquele título, em 1967, chegava ao Japão o primeiro jogador estrangeiro da história do país, e também o primeiro brasileiro.

Como a realidade do futebol na terra do sol nascente ainda era de amadorismo, em meio à industrialização e ao desenvolvimento nacional, Nelson não foi considerando receber dinheiro e começou a trabalhar na fábrica cujo time carregava o nome.

Nisso, começou a jogar na principal liga japonesa, que era amadora, mas chamava a atenção da população. No primeiro ano de Yanmar Diesel, ele já era considerado um astro. Tudo mudou para ele.

Já em seu segundo ano, conquistou a Copa do Imperador (1968). Em 1970, Nelson se naturalizou japonês, quando adotou o nome Daishiro Yoshimura. Pelo Yanmar, jogou toda a sua carreira e conquistou a JSL (Japan Soccer League) quatro vezes, marcando 30 gols e dando 54 assistências em 189 partidas.

Na seleção japonesa, o reconhecimento aumentou. Ele não chegou a se classificar para uma Copa do Mundo, mas disputou duas Eliminatórias. Pelos samurais azuis, se aposentou como dono do recorde de 101 partidas pelo selecionado, com 10 gols feitos.

Sua velocidade e sua delicadeza na técnica de dar várias assistências encantaram aqueles que o assistiam. Alguns jornalistas locais até diziam que ele era o maior velocista que o país já teve, mas acabou saindo do futebol aos 33 anos, em 1980, sem ter a chance de jogar profissionalmente.

Pós fim de carreira

Yoshimura pendurou as chuteiras, mas continuou trabalhando para o Yanmar, tendo feito parte do melhor momento da história do time, que então acabaria se tornando o Cerezo Ozaka, um dos principais times da elite do futebol japonês.

Antes disso, ele chegou a ser treinador durante um curto período, mas seu destaque sempre foi para encontrar jovens talentos. Então, até mesmo depois de ter sido gerente de futebol no Cerezo, ele continuou trabalhando como um olheiro para a equipe, até revelando jogadores que chegariam à seleção principal.

Depois de contribuir para o futebol japonês, sua trajetória nesse mundo terminou em 2003, aos 56 anos de idade, quando já vivia uma vida simples na terra natal do seu pai com sua família.

Porém, antes disso, Yoshimura teve a chance de ver o esporte se profissionalizar no país nos anos 90, de ver a porta se abrindo para estrangeiros e, acima de tudo, de ver uma Copa do Mundo sediada lá. E, o melhor de tudo, teve a chance de ver seu país de nascença campeão no país onde viveu os melhores anos de sua vida.

Em 16 de Junho de 2002, em entrevista à Folha de São Paulo, Yoshimura foi perguntado para quem torceria naquela edição da competição, e ele até acertou o palpite na sua premonição.

“Torço pela seleção, torço mais para o Brasil. Vamos ver. Acho que ele ficará com a taça.”


Seja um dos 12 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Marcus Arboés

Acadêmico em jornalismo na UFRN, narrador esportivo em formação e apaixonado por um futebol bem jogado e com aproximações, no melhor estilo latino! Atuo no Universidade do Esporte.

Como citar

ARBOéS, Marcus. O primeiro jogador brasileiro no Japão. Ludopédio, São Paulo, v. 139, n. 44, 2021.
Leia também: