159.21

A crescente violência nas arquibancadas da França

Gabriel de Oliveira Costa 19 de setembro de 2022

Grupos organizados têm promovido confrontos dentro e fora dos estádios; radicais parisienses dão apoio para rivais internacionais.

No velho continente, grupos radicais denominados “ultras” têm promovidos confrontos violentos dentro e fora dos estádios. Em específico na França, as concentrações de batalhas têm preocupado autoridades da Federação de Futebol e até o Comitê Olímpico. Assim como o rebaixamento do Saint-Etienne, a crescente internacional do PSG, o Nice cada vez maior no país e o Olympique de Marseille alternando competições continentais são fatores-chave para o aumento dos confrontos de grupos organizados de torcedores.

A exemplo do PSG, o clube aboliu qualquer aparição de um dos principais grupos ultras – Boulogne – em meados de 2010. Antes mesmo da aquisição do Catar, o PSG optou por cortar laços com os torcedores extremistas. No entanto, uma “filial” se popularizou nos últimos tempos, bem como os famosos Virage Auteuil, que possuem alianças por diversos países, bem como a Whilde Horde, do Köln.

futebol violência França
Fonte: reprodução

Confrontos recentes

Por falar no 1. FC Köln, justamente as duas ultras citadas foram responsáveis por um ataque contra o Nice, em jogo de Conference League. Cerca de 10 mil alemães, com apoio de parisienses, confrontaram os rivais em uma batalha que teve 39 feridos, sendo 9 policiais. Conforme diz a RMC Sport, um ultra caracterizado como torcedor do PSG, caiu da arquibancada e esteve em estado grave até recentemente.

Durante 2021, torcedores do Nice e Marseille protagonizaram forte batalha campal. A confusão que começou em campo, terminou com invasão dos donos da casa – Nice. Em meio à confusão, o meia Payet foi atingido por uma garrafa e caiu em campo. Na época, a Ligue 1 tirou dois pontos do Nice na tabela.

Futebol violência França
Fonte: reprodução redes sociais

Na última temporada, ultras do Saint-Etienne invadiram o campo após seu time ser rebaixado. O maior campeão francês conta com uma das maiores torcidas do país e antes do confronto contra o Auxerre, protagonizaram cenas de violência fora do estádio. Por fim, em 2020 o mesmo grupo trocou socos e chutes contra rivais do Lyon no meio do estádio.

Uma das preocupações de autoridades francesas é o excesso de violência próximo das Olimpíadas. Em 2024, Paris será a sede da competição. Entretanto, a última final de Champions League, também em Paris, ficou marcada por falhas na segurança, invasões no estádio e brigas entre torcedores do Real Madrid e Liverpool com a polícia.

Seja um dos 12 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriel de Oliveira Costa

Jornalista carioca, tenho 22 anos. Apaixonado por futebol, fator principal pelo qual sou motivado para trabalhar com  a comunicação social, desde março realizo trabalhos direcionados ao conteúdo esportivo. Há dois anos trabalho com pautas de economia e política.

Como citar

COSTA, Gabriel de Oliveira. A crescente violência nas arquibancadas da França. Ludopédio, São Paulo, v. 159, n. 21, 2022.
Leia também:
  • 159.32

    Lancellotti, a Band e o Campeonato Italiano

    André Alexandre Guimarães Couto
  • 159.31

    A tristeza da Alegria do Povo (1a. parte)

    Denaldo Alchorne de Souza
  • 159.30

    Carpegiani, o saci da gávea

    Fabio Zoboli, Elder Silva Correia