155.32

Alfredo Di Stéfano e o Sarriá: o adeus de um gênio

Gabriel de Oliveira Costa 30 de maio de 2022

O dia era 20 de fevereiro de 1966, a última rodada de La Liga presentearia o fã de futebol com a despedida de Alfredo Di Stéfano, que se aposentaria naquela oportunidade. Com a camisa do RCD Espanyol, dava adeus em um jogo contra o Mallorca (1-1), onde anotou um gol no estádio Sarriá. O craque pentacampeão da Champions League terminara sua segunda temporada no clube Catalão, após 11 anos no Real Madrid.

A partida valia a vida para o Espanyol, que brigava para permanecer na elite. O Mallorca que também tinha chances de ficar, foi rebaixado ao final daquela partida. Comandado pelo treinador húngaro Ladislao Kubala, Di Stéfano se retirava dos gramados com 4 gols em 23 partidas no clube. 

Di Stéfano e Kubala
Di Stéfano e Kubala, seu último treinador. Foto: Divulgação

Di Stéfano estava pronto para se aposentar, mas antes de pendurar as chuteiras, salvaria o Espanyol do rebaixamento. Na partida contra o Mallorca, seu gol (52) empatou a partida que evitaria a queda diante do seu torcedor.

Naquela oportunidade o Espanyol levava ao gramado: C. Cedrún; Kuszmann, Mingorance, J. Manuel e Riera; Boy, Aumedes, D. Álvarez e J. María; M. Vilaseca e Di Stéfano.

Com o Atlético Madrid campeão, aquela La Liga ainda teria o Real Madrid vice e Barcelona terceiro. O Zaragoza foi a sensação, o 4º colocado. Por fim, Málaga e Sabadell foram aos playoffs e Mallorca e Betis os rebaixados. O Espanyol se salvaria com um ponto, na 12ª colocação.

Após se despedir salvando  os Catalães, Di Stéfano ainda faria um jogo amistoso pelo Real Madrid contra o Celtic. Pelo Espanyol foram duas temporadas, 47 jogos e 11 gols.

Di Stéfano e o RCD Espanyol
Di Stéfano e o RCD Espanyol. Fonte: reprodução
Seja um dos 9 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Gabriel de Oliveira Costa

Jornalista carioca, tenho 22 anos. Apaixonado por futebol, fator principal pelo qual sou motivado para trabalhar com  a comunicação social, desde março realizo trabalhos direcionados ao conteúdo esportivo. Há dois anos trabalho com pautas de economia e política.

Como citar

COSTA, Gabriel de Oliveira. Alfredo Di Stéfano e o Sarriá: o adeus de um gênio. Ludopédio, São Paulo, v. 155, n. 32, 2022.
Leia também:
  • 155.33

    Pelo direito à memória: Nordestão e seus predecessores

    Itamá do Nascimento
  • 155.31

    Las presas que juegan al fútbol

    Federico Frau
  • 155.30

    Um desafio de humildade

    Leandro Iamin