88.2

Ludopédio, 7 anos

Equipe Ludopédio 5 de outubro de 2016

No dia 5 de outubro de 2009, o Ludopédio entrava em campo pela primeira vez. O pontapé inicial, de fato, foi dado em 2008, durante as reuniões do Grupo Interdisciplinar de Estudos sobre Futebol (GIEF), um grupo independente composto por estudantes de graduação e pós-graduação da USP.

O elenco de cerca de 10 pesquisadores debatia a necessidade de compartilhar o conhecimento produzido em uma instituição pública para fora dos muros da universidade. Um primeiro time (Enrico Spaggiari, Marco Antunes, Paulo Favero e Sérgio Giglio) decidiu transformar essa vontade em realidade. Bola na marca da cal, pimba na gorduchinha!

Ainda na primeira década dos anos 2000, os conteúdos acadêmicos sobre futebol, embora já disponíveis na internet, eram incompletos e mais difíceis de encontrar. Estudantes, pesquisadores, jornalistas, profissionais e apreciadores do futebol precisavam de um meio de campo criativo, participativo e eficiente para encontrar todo o conteúdo científico produzido sobre o esporte.

2009-2015

Como um grande hub de conteúdo especializado, o site Ludopédio foi criado e segmentado em seções: o acervo fotográfico (Futebol-Arte), as colunas semanais (Arquibancada), o banco de textos acadêmicos (Biblioteca), as Entrevistas com profissionais da área e a galeria de memorabilia, charges e ilustrações (Memória).

Assim como no futebol espetacularizado, o elenco do Ludopédio sofreu com uma perda importante, mas ganhou reforços. Paulo Favero, geógrafo titular da equipe, acabou indo para um grande veículo de comunicação. Em contrapartida, ainda em 2010, o historiador e redator Marco Lourenço, e o também historiador e fotógrafo Max Rocha se uniram ao escrete. Na última temporada, o historiador Victor Figols se juntou ao time,  fechando a janela de transferências.

Com os reforços, o Ludopédio, além de difundir as produções sobre futebol, passou também a criar conteúdo próprio: fotos de futebol mundo afora, entrevistas com grandes nomes do futebol e as crônicas na arquibancada.

O trabalho contínuo em criar, prospectar e compartilhar novas fontes de conhecimento e de expressão artística sobre futebol resultou em uma grande rede de contatos, costurados pela equipe Ludopédio. A presença de tantos protagonistas da área interagindo e colaborando com e pelo site fez com que a própria natureza do Ludopédio tenha se tornado mais complexa.

Para além da difusão de conteúdo, com a divulgação de lançamentos de livros, revistas, exposições e seminários e a disponibilização gratuita de toda sorte de materiais do campo, o Ludopédio passou a produzir mais.

Nossa equipe participou da organização e realização de cursos, palestras e a produção de diversos títulos de impacto na bibliografia futebolística. Vale citar, sobretudo, três grandes trabalhos solicitados por outras instituições que carimbaram o reconhecimento do Ludopédio como especialista na área: duas grandes exposições para o SESC (O Drible, 2014 e Sesc Verão – Jogos Olímpicos, 2016) e um grande simpósio para o Museu do Futebol (Simpósio Balanço dos Jogos Olímpicos no Brasil, 2016).  

Estes feitos só foram possíveis com o empenho de especialistas apaixonados pelo trabalho, pelas diretrizes ideológicas que repudiam toda expressão anti-democrática (racismo, machismo, homofobia, xenofobia e classismo) e pelas diversas expertises adquiridas ao longo do tempo, que articulam ferramentas gráficas, produção autoral audiovisual e as estratégias criativas de comunicação nas redes sociais.

O Ludopédio acabou sendo uma escola para si mesmo, formando uma equipe de profissionais extremamente versátil, cuja definição pesquisadores tornou-se absolutamente incompleta. Atuamos como knowledge players no futebol, com protagonismo proporcional aos projetos e iniciativas desenvolvidas ao lado de diversos parceiros, colaboradores e instituições.

Este conceito praticado – knowledge players ou jogadores do conhecimento – é sustentado pela qualidade e credibilidade de um trabalho independente que não se mistura ou se beneficia de poderes políticos e econômicos de clubes, entidades esportivas, universidades ou mesmo instituições governamentais. Defendemos princípios claros em defesa de um futebol democrático capaz de inspirar o seu entorno desgastado por uma trágica herança histórica, e neste momento, sendo ainda mais agredido e ameaçado por retrocessos grotescos.

Nossas vitórias devem ser compartilhadas com todos os players. Sem você, leitor, temos um campo sem arquibancada ou um estádio sem torcida. Como disse certa vez o mestre Eduardo Galeano, “não há nada menos mudo que as arquibancadas sem ninguém”.

O Ludopédio agradece a todxs que nos acompanham, colaboram e apoiam nosso propósito.

A bola está em jogo! Tem muito campeonato pela frente.

Vem jogar com a gente!

 

Seja um dos 26 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Equipe Ludopédio

Nosso objetivo é criar uma rede de informações, de pesquisadores e de interessados no tema futebol. A ideia de constituir esse espaço surgiu da necessidade e ausência de um centro para reunir informações, textos e pesquisas sobre futebol!

Como citar

LUDOPéDIO, Equipe. Ludopédio, 7 anos. Ludopédio, São Paulo, v. 88, n. 2, 2016.
Leia também:
  • 88.13

    Conversando com ex-jogadores da Seleção: Djalma Santos

    Bernardo Borges Buarque de Hollanda
  • 88.11

    Estrangular a violência

    Gabriel Moreira Monteiro Bocchi
  • 88.10

    Mudanças no futebol. Para quê? Para quem?

    Felipe Vinícius de Paula Abrantes