167.8

FIFA+: streaming com fontes para investigações sobre o futebol

O “FIFA+”[1], ou melhor, o FIFA Plus, é uma plataforma de streaming que oferece ao pesquisador uma variedade de fontes. Nela é possível assistir futebol ao vivo, ter acesso aos conteúdos originais da própria FIFA,[2] documentários de parceiros, podcasts, textos de diferentes naturezas e uma série de informações sobre o esporte mais popular do mundo. De fato, não é uma plataforma que tenha sido construída para a pesquisa histórica ou das ciências humanas. Ainda assim, dentro dela é possível investigar e realizar análise crítica de fontes, sobretudo aqueles que estão interessados na história do futebol e sua evolução ao longo do tempo.

Ao oferecer acesso aos ‘filmes oficiais’, podemos não apenas ver jogos e agentes históricos, mas também analisar este conteúdo com o objetivo de apreender melhor o contexto histórico em que o jogo estava inserido. Logo, é atentar à imersão subjetiva da vida em sociedade, do futebol como produto cultural e social pertencente a determinada época e, mais do que isso, como produção de significado e expressão de determinada cultura em determinado tempo histórico. Confesso que ao assistir aos filmes oficiais de 1930 até 2018, no futebol masculino, notei o quanto as vestimentas, os cabelos, as barbas, os objetos transportados pelos jogadores e até o material esportivo foram sendo modificados ao longo do tempo. O mesmo pode ser dito para além das quatro linhas.

 Outro exemplo significativo foi o ‘filme oficial de 1930’,[3] a primeira Copa do Mundo que, na época, se chamava Taça Jules Rimet, brinda o espectador com imagens aéreas belíssimas de Montevidéu. Conta também com a presença, o relevo e o rosto de trabalhadores da região da Prata que levantaram o icônico estádio Centenário.

FIFA Plus

Por vezes, quando estudamos o fenômeno cultural, que é o futebol, colocamos à margem, em certa medida, aqueles que produziram os monumentos, os quais os homens – e cada vez mais as mulheres – se tornam gênios/as do ludopédio. Com isso, ao assistir o curto documentário sobre a Copa de 1930, vemos a reflexão basilar no campo da História Social que é pensar o peso ignorado, negligenciado e invisibilizado do registro da classe trabalhadora em contextos, sobretudo nessa indústria que hoje, movimenta enormes cifras apenas na FIFA-IB.

Ainda sobre os ‘filmes oficiais’ da FIFA, notamos uma pretensão da Instituição de construir uma história linear da própria Instituição se confundindo com a do futebol mundial, cruzando o futebol praticado por homens e aqueles praticados por mulheres. Embora Joseph Blatter tenha dito no final da década de 90 que “o futuro do futebol é feminino”,[4] com a primeira Copa do Mundo ocorrida em 1991,[5] na China, o primeiro ‘filme oficial’ da FIFA consta de 2011. Sendo assim, dentro do próprio canal oficial ainda consta um hiato de duas décadas de silenciamento e invisibilidade de corpos femininos praticantes do futebol.

Acredito que a própria ‘FIFA +’ mereceria um estudo de caso próprio. Salta aos olhos o quanto o futebol se tornou capaz, ele mesmo, de se tornar um produto de expressão cultural que nos une e, ao mesmo tempo, nos distingue. Na medida em que se apresenta como ‘universalizante’, foi possível notar processos particulares na relação do fenômeno – jogo de bola – com determinadas sociedades. Talvez, identificar mais do que a importância da Copa do Mundo para as sociedades contemporâneas, seja interrogar os processos de como este fenômeno se relaciona com essas sociedades e questionar como estas são socialmente construídas. Não sabe o que fazer após terminar essa leitura? Que tal navegar um pouco no ‘FIFA +’.


[1] Disponível em https://www.fifa.com/fifaplus/pt. Acesso em 5 abr. 2023.

[2] FIFA significa: Fédération Internationale de Football Association que, no português seria Federação Internacional de Futebol Associação.

[3] Disponível em https://www.fifa.com/fifaplus/pt/watch/movie/3XF3edWbspCLGbpdca1uVM. Acesso em 5 abr. 2023.

[4] TIESLER, Nina Clara, et al. Introdução: O Futebol Globalizado: Uma Perspectiva LusocêntricaAnálise Social, vol. 41, no. 179, 2006, pp. 313–43. JSTOR.

[5]  Disponível em https://museudofutebol.org.br/crfb/eventos/616956/. Acesso em 6 abr. 2023.

 

Este texto foi originalmente publicado no Blog Comunicação, Esporte e Cultura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Ludopédio.
Seja um dos 14 apoiadores do Ludopédio e faça parte desse time! APOIAR AGORA

Marcelo Viana Araujo Filho

Graduado em licenciatura em História junto a UFF, entre 2015 e 2019. Foi beneficiado com a experiência de estágio PIBID UFF no colégio Manoel de Abreu,  em 2017. Bolsista PIBIC CNPq (CAPES), sob orientação de Laura Antunes Maciel, entre 2018 e 2019. Torcedor de arquibancada (sempre em pé e cantando) do tricolor das laranjeiras e um herdeiro dos ensinamentos do original mendigo do bom futebol, o Eduardo Galeano. Atualmente, mestrando  em Contemporânea II em História, sob orientação de Lívia Gonçalves Magalhães. O projeto que está em desenvolvimento, visa compreender como se deu o processo de profissionalização do Bangu Athletic Club através da Imprensa (1910 -1933).

Como citar

FILHO, Marcelo Viana Araujo. FIFA+: streaming com fontes para investigações sobre o futebol. Ludopédio, São Paulo, v. 167, n. 8, 2023.
Leia também:
  • 180.21

    Santa Marina e o circuito varzeano: entre a quadra e o campo de futebol

    Enrico Spaggiari, Mariana Hangai, Rodrigo Valentim Chiquetto
  • 180.18

    3ª Copa Estadual da Reforma Agrária – Ceará 2024

    Aira F. Bonfim
  • 180.17

    Foi futebol, mas não apenas: a final da Champions League 2023-2024 em um cinema de Sobral (CE)

    Íris Morais Araújo, Rodrigo Chaves de Mello